ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Turismo cultural, mais um segmento importante para Teresópolis

Data: 11/09/2021

Nina Benedito     
@ninabenedito 

Um dos fatores que impulsionam a procura por esse tipo de turismo é a curiosidade em conhecer novos lugares e culturas diferentes. O patrimônio histórico, principalmente as edificações e monumentos, é cada vez mais procurado pelos turistas. Por isso, a conservação do patrimônio de uma cidade transforma-se em potencial atrativo cultural no planejamento de roteiros turísticos temáticos, incrementando a atividade turística de uma localidade. Em recente participação no “Programa da Nina”, na Diário Tv, Artur Esteves, Guia de Turismo e Historiador, falou um pouco sobre o tema  e destacou alguns pontos de interesse em Teresópolis, como o Várzea Palace Hotel.
“A questão do turismo com a preservação do patrimônio cultural é importante primeiro para a preservação das identidades de uma determinada localidade. Existem ‘cases’ de locais que destruíram praticamente boa parte do seu patrimônio cultural, e consequentemente esses locais perderam boa parte da sua identidade, se tornaram locais que nós chamamos na Antropologia, de ‘não lugares’, de lugares amorfos, ou seja, sem forma, sem identidade, e isso logicamente afeta no turismo e na auto estima da população também”, diz Artur. Ainda segundo o Guia de Turismo, a preservação dessa identidade é muito importante nesse sentido, e há ainda outros “cases” de sucesso que preservaram seus patrimônios culturais, como a cidade histórica de São João Del Rei, Ouro Preto, Paraty entre outras e que se faz turismo especificamente para essas localidades para conhecer esse patrimônio cultural preservado, favorecendo assim a economia dessas cidades. 

O turismo cultural
“O turismo tem vários segmentos e o turismo cultural tem o seu público, e, claro, esses locais são como ímãs que atraem os turistas, ainda que não sejam apaixonados por história ou patrimônio cultural, esses locais atraem pela beleza de seu patrimônio ainda preservado”, afirma Artur. “Os estrangeiros gostam muito de visitar esses locais e apreciar as belezas naturais, mas principalmente a nossa cultura que é riquíssima e muito abrangente”, completa.

O Várzea Palace Hotel
Em Teresópolis, podemos destacar como patrimônio histórico cultural o famoso Hotel Várzea. Muitas pessoas passam pelo antigo estabelecimento e não conhecem a sua história e nem tão pouco o seu interior todo preservado, com móveis da época de sua construção. Localizado no Centro, o Várzea Palace Hotel foi construído em três etapas. A primeira delas é datada de 1911. “É importante ressaltar que os antigos hotéis não tinham quartos privativos, eram coletivos que geralmente ficavam no final do corredor para cada andar, e nas hospedarias no Brasil, os banheiros ficavam do lado de fora, ou usavam os famosos penicos de baixo das camas”, conta o historiador.
O estilo arquitetônico da parte externa do Várzea Palace Hotel  é um art decor português, segundo um dos arquitetos do Iphan, e uma das coisas que mais chamam atenção em seu interior é a parte de azulejaria toda original da época. “Inclusive Teresópolis é riquíssima, existem vários patrimônios culturais com a questão da azulejaria principalmente a portuguesa”, destaca Artur.

Um pedacinho da história
O Hotel Várzea pertencia ao Coronel Sebastião Teixeira, que foi prefeito de Teresópolis por quatro mandatos. Português, veio para o Brasil ainda jovem, foi trabalhar no Rio de Janeiro e na capital teve um restaurante. Pouco tempo depois veio para Teresópolis, onde adquiriu o hotel que já existia e foi dando prosseguimento as obras de ampliação. As janelas são todas originais, nos quartos, pisos com tacos de madeira, a parte de vitrais e móveis são todos de época.  “Precisamos aqui na cidade de um trabalho para preservação desses patrimônios culturais para a questão dos estilos arquitetônicos desses bens, isso é muito importante para a cidade e principalmente para o turismo”, enfatiza Artur Esteves.

Azulejos portugueses na cidade
“Além do tour cultural a pé que eu já realizo, trabalhamos também com a questão da história da arte voltada para a nossa realidade local e esses bens. Existem muitos outros espalhados pelo nosso município, e é interessante o trabalho de azulejaria, inclusive os azulejos da Beneficência Portuguesa são tombados, a grande maioria são portugueses que sempre teve uma cultura muito forte em azulejaria. Destacamos o artista Jorge Colaço, dos azulejos do Mirante da Granja Guarani, ele era tão importante que possui trabalhos de azulejaria no Palácio de Wimbledon na Inglaterra, ele era um artista de renome. Outros azulejos muito bonitos também são os da Casa de Saúde, em Teresópolis daria para criar um ‘Tour da azulejaria’”, diz Artur, empolgado.

Várias opções de lazer
Hoje podemos afirmar que vivemos em uma cidade turística, e, para quem costuma dizer que “Teresópolis não tem o que fazer”, está enganado. O município oferece tantas opções de lazer e turismo que fica até difícil conhecer tudo em apenas um dia. Temos um segmento de turismo gastronômico muito forte e muito procurado, recentemente despontou com o turismo rural, que é sucesso absoluto, principalmente entre os turistas vindos da capital, sem esquecer logicamente do turismo voltado para a natureza e esportes radicais, contudo, ainda não possui um turismo histórico cultural específico. “Fui um dos pioneiros aqui nesse sentido de tour histórico, e agora estou começando a trabalhar com roteiros culturais gastronômicos. Recentemente recebi um grupo do Rio e fizemos um tour cultural com gastronomia e de compras, tivemos até um chá inglês que remete a questão do George March na cidade”, conta Artur.

A colonização de Teresópolis
“Petrópolis tem essa questão da colonização alemã, Friburgo o suíço e o japonês, e Teresópolis possui uma multi culturalidade, as mais variadas colônias, temos os portugueses, espanhóis, libaneses, chineses, japoneses, além da culturalidade regional destacando o nordeste. O nosso país, a nossa cidade, possui uma diversidade muito forte, não adianta querer inventar uma única identidade”, enfatiza o historiador. “Nós temos a Festa das Colônias, por exemplo, que homenageia as várias colônias existentes em Teresópolis, e a gente aproveita a comida típica, o artesanato, a cultura de cada um dos povos.  Com certeza é uma festa que com o passar do tempo vai atrair muitos turistas, muitos grupos, como por exemplo a Festa do chocolate que sempre foi um grande sucesso.  A formação gastronômica da nossa cidade é ímpar”, conclui.

Sobre o Tour Cultural
“Eu trabalho com o Tour Cultural da Várzea e também o Tour Cultural do Alto, e o Várzea Palace Hotel já está no meu roteiro, mas eu só levo até a recepção, a ideia é de que seja feita a visitação dentro do hotel mediante ingresso para ajuda na manutenção do espaço. Vale ressaltar que eu também não levo muita gente, justamente para não provocar aglomeração e nem tão pouco o impacto nesses patrimônios culturais, já vimos exemplos de outros locais que lotaram determinado museu de pessoas causando uma degradação nesse bem cultural, então, eu costumo levar de uma pessoa, o que chamamos de privativo, até no máximo 20 pessoas, para que o visitante se sinta mais á vontade e aproveite o tour”, explica Artur.
Para quem quiser participar de um desses ou outros passeios com o Guia de Turismo Artur Esteves, basta entrar em contato com a Notur Travel através do telefone (21) 97581-5577 ou Instagram @notur.travel

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

PM anuncia o maior investimento em infraestrutura da história da corporação: R$ 139 milhões

Chuvas deixam município do Rio em estágio de mobilização

MPRJ prende ex-vereador por prestação ilegal de serviço de internet

Teresópolis mantém baixa a evasão escolar mesmo durante a pandemia

Ação de assistência à saúde e desenvolvimento social em Sebastiana

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ

Desenvolvido por Agência Guppy