ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Teresopolitano trabalha em efeitos visuais de mais uma série da Netflix

Data: 01/08/2020

O teresopolitano Antonio Ribeiro, que trabalha na indústria de efeitos visuais para filmes e séries e mora há cinco anos em Toronto, no Canadá

Uma das poucas coisas que não foi afetada de forma negativa durante a pandemia que estamos passando foi o mercado de streaming (assistir filmes e séries por uma conexão de internet). Com as pessoas se resguardando em casa, o acesso a serviços como Netflix, Amazon Prime, Youtube e outros serviços de entretenimento online dispararam. Com isso, a agenda de lançamentos não parou. Pelo contrário, em alguns casos foi acelerada para que as plataformas pudessem apresentar material inédito para uma multidão de espectadores confinados e que estavam esgotando o acervo de suas séries favoritas rapidamente. Mesmo com as produções sendo interrompidas, muitas séries e filmes já tinham encerrado as filmagens e o material estava a todo vapor nos estúdios de pós-produção pelo mundo afora. Neste cenário, o teresopolitano Antonio Ribeiro, que trabalha na indústria de efeitos visuais para filmes e séries e mora há cinco anos em Toronto, no Canadá, tem novidades sobre os projetos que trabalhou desde antes do início do lockdown e que já foram lançados e ainda outros que estão saindo do forno agora!
Entre os títulos nos quais trabalhou e já foram lançados desde o fim de 2019 está a série para a Netflix “Criando Dion”, onde uma mãe tenta lidar com os super poderes do seu filho enquanto ele mesmo também descobre do que é capaz. “Nessa série trabalhei em várias cenas onde Dion faz objetos flutuarem. O nosso trabalho era conferir uma aparência realista aos brinquedos, eletrodomésticos e todos os demais objetos com os quais o menino estava testando seus poderes”. Já no campo de filmes, Antonio trabalhou nos efeitos visuais do “Aprendiz de Espiã”, estrelado pelo ator Dave Bautista (Drax em Guardiões da Galáxia) e também “Pense como um Cachorro”, estrelado por Megan Fox (Transformers). Ambos projetos são filmes para a família, com um toque de aventura e foram lançados em serviços “on demand”, devido às condições impostas pelas restrições da pandemia. Porém, a grande cereja do bolo acabou de ficar pronta e estreou nesta sexta-feira, 31, a segunda temporada de Umbrella Academy, projeto no qual Antonio trabalhou por quase um ano. Conhecida como uma das séries de maior audiência da Netflix, Umbrella Academy é baseada na história em quadrinhos da publicadora Dark Horse e foi criada por Gerard Way e pelo brasileiro Gabriel Bá.
Para se ter uma ideia, o trailer lançado antes da estreia da segunda temporada atingiu mais de cinco milhões de views somente no Youtube em menos de uma semana, enquanto fãs do Brasil e do mundo todo comentavam a ansiedade pelo lançamento da série. Uma das cenas mais importantes do trailer e que aparece na abertura desta nova temporada, foi feita pelo estúdio no qual Antonio Ribeiro trabalha e teve a participação direta do teresopolitano, sendo ele um dos poucos brasileiros a trabalhar em todo o projeto.
“A cena de abertura dessa temporada teve participação direta do estúdio em relação ao desenvolvimento da filmagem, o que geralmente não acontece, pois recebemos as cenas já filmadas e prontas para adicionarmos os efeitos visuais. Neste caso, a produção da série juntamente com os Produtores da Netflix discutiram com nosso time de lookdev as melhores soluções para a complexidade da cena que os autores haviam concebido. Foi usado inclusive um caminhão com LiDAR scanner para poder scannear todo o set de filmagem, de forma a usar a referência espacial na hora de criar as cameras virtuais e recolocar tudo em seu lugar na pós-produção”,  comenta Antonio.  “A sequência de abertura começa quando o Número 5 cai em um beco por ter sido teletransportado para uma outra época do tempo e cai no meio de um conflito entre dois exércitos em uma rua urbana. A rua usada como base foi em uma cidade próxima a Toronto e foi reconstruída totalmente de forma digital para que pudesse ser destruída e alterada à vontade. Toda a cena tem cerca de três minutos de duração, o que para o time de efeitos visuais é uma eternidade, já que geralmente trabalhamos sempre em cenas de dois, cinco ou no máximo 15 segundos. Além do enorme tempo de toda a ação, ela foi feita de forma a parecer um plano sequencia, ou seja, quando não há cortes e toda a filmagem parece ter sido feita de uma só vez ”, completa o artista.
Além da extensão da cena de abertura ser um fator de complexidade, Antonio ainda revela que a própria cena em si envolveu inúmeras filmagens separadas, dublês digitais, explosões e extensões de cenário com câmeras virtuais. Foi necessário que uma equipe de cerca de 200 pessoas trabalhasse por cerca de cinco meses para que a abertura dessa temporada fosse concluída. “Trabalhei em diversas partes da sequência de abertura, mas em uma delas fiquei responsável por praticamente toda a composição digital desde o zero até o resultado final. É a parte onde Luther pula de cima de um prédio e vem a se colocar entre Klaus e um disparo de bazuca. A parte filmada é apenas quando Luther cai na frente de Klaus, sendo o restante (quando ele pula, os soldados, o disparo da bazuca, explosão, reflexos, sombras, escombros, fumaça, etc) tudo adicionado digitalmente na pós-produção. Só para essa parte que dura cerca de 7 segundos eu trabalhei por um mês direto” – revela.
Toda a sequência de abertura foi, inclusive, revelada na última quarta-feira através do perfil official do Umbrella Academy no Facebook, aumentando ainda mais a ansiedade dos fãs. Além da parte da abertura do primeiro episódio desta nova temporada de Umbrella Academy, o artista de Teresópolis ainda trabalhou em algumas cenas de outros episódios, como a parte onde centenas de agentes perseguem o Número 5 e Diego ou até mesmo quando ondas de poder emanam de Vanya enquanto ela está numa sala.

Trabalho em conjunto
Antonio afirma não ser possível ter noção de toda a história, já que mais de oito estúdios de efeitos trabalharam na série e, portanto, o acesso a toda a sequência das cenas é limitado, mas confessa estar empolgado com o resultado: “Quando trabalhei na primeira temporada não conhecia o Umbrella Academy. Depois que foi lançada a série, fui então assistir no Netflix e virei fã. Quando soubemos que trabalharíamos na segunda temporada, fiquei bem empolgado em participar deste projeto enorme, sendo uma das séries mais assistidas e com melhores reviews da Netflix. Já trabalhei – e continuo trabalhando – para muitas produções da Netflix, porém as minhas favoritas foram, sem dúvida, Umbrella Academy e Stranger Things. Então posso dizer que fiquei bastante satisfeito com o resultado de meses de trabalho. É muito empolgante ver uma cena que só você tinha acesso e ficou assistindo repetidas vezes por meses agora estar disponível para o mundo todo”. 

Projetos
Sobre lançamentos futuros Antonio ainda não pode adiantar muito, em razão dos termos de confidencialidade do estúdio, porém adianta algumas coisas: “Estou trabalhando em um filme que deverá sair ano que vem, além de uma série nova para a Netflix com temática de super-heróis”. Se quiser conferir o trabalho de efeitos visuais desenvolvido por Antonio Ribeiro e toda a equipe do estúdio no qual ele trabalha em Toronto, no Canadá, a segunda temporada de Umbrella Academy já está disponível na Netflix. Corra lá e aperte o play!

Outros trabalhos
Outros projetos de destaque em que trabalhou foram “Alice Através do Espelho”, “Deuses do Egito”, “Invocação do Mal 2”, “Logan”, “Fúria em Alto Mar”, “A Maldição da Residência Hill”, “The Umbrella Academy”, “Nightflyers”, “Fear the Walking Dead”, “Star Trek Discovery” e mais recentemente a terceira temporada de “Stranger Things”. Antonio trabalhou em estúdios que foram responsáveis pelos efeitos visuais de filmes como X-Men, Vingadores a Era de Ultron, Quarteto Fantástico, Wolverine, Robocop, Deadpool, Tomb Raider, Esquadrão Suicida, John Wick 1 e 2 e de séries como Game of Thrones entre outras inúmeras produções.

 

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Bolsonaro convida Temer para chefiar missão humanitária no Líbano

IBGE: 62,4% das empresas afetadas negativamente pela pandemia

Escolas de futebol enfrentam o desafio da retomada de atividades

Covid-19: Brasil registra 2.094.293 recuperados

Bebê abandonado em servidão já tem novos pais

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ

Desenvolvido por Agência Guppy