ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Rio de Janeiro pode assinar acordo de ajuda federal em 1º de agosto, diz Pezão

Data: 11/07/2017

 

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, disse nesta terça-feira (11) que pretende assinar o acordo de socorro financeiro ao estado em 1º de agosto. Após reunião com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ele também declarou que espera regularizar o salário dos servidores estaduais até meados de setembro.

De acordo com o governador, Meirelles disse que o texto do decreto que regulamenta a lei de auxílio aos estados com problemas financeiros deve ser encaminhado à Casa Civil na sexta-feira (14) ou na segunda-feira da próxima semana (17). Somente após a assinatura desse decreto, pelo presidente da República, o estado pode formalizar o acordo e passar a receber os recursos.

Pezão sanciona lei que cria teto de gastos e permite acordo com governo federal
Segundo Pezão, a Casa Civil tem até duas semanas para analisar o decreto, mas ele vai pedir ao ministro-chefe do órgão, Eliseu Padilha, que acelere a apreciação do texto para liberar a ajuda o mais rápido possível. “Isso é um prazo que tem lá, de cerca de duas semanas, mas eu vou pedir muito ao ministro Padilha que seja ágil e rápido para a gente”, afirmou.

Depois da formalização do acordo, o Rio de Janeiro poderá deixar de pagar as dívidas com a União por até 36 meses e receber a antecipação de royalties de petróleo, mas terá de cumprir contrapartidas, como aumento de tributos e corte de gastos. O estado também poderá receber empréstimos de bancos oficiais em troca da privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), cujo dinheiro da venda servirá de garantia aos empréstimos.

O último entrave para o acordo foi removido no fim do mês passado, com a aprovação, pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, do teto estadual de gastos. Os deputados estaduais resistiam a votar o projeto, por entenderem que a própria Lei de Responsabilidade Fiscal, na prática, instituía um teto de gastos para o estado, mas o ministro Henrique Meirelles rejeitou o argumento.

De acordo com Pezão, o estado está terminando de atualizar a previsão de fluxo de caixa com as receitas dos aumentos de tributos e da diminuição de incentivos fiscais. Ele disse que só falta o Rio de Janeiro formalizar a documentação e esperar a edição do decreto para cumprir com outras medidas acordadas, como a concessão de linhas de ônibus intermunicipais e a renovação da concessão da Companhia Estadual de Gás.

*Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

A história de Teresópolis, através da imprensa

Aulas presenciais só voltam quando Teresópolis estiver em bandeira amarela

Município do Rio vacina professores da rede pública com 55 anos ou mais

Grandes empreendimentos comerciais em Teresópolis

Quatro mortes num acidente com Palio Weekend na noite desta sexta-feira

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ

Desenvolvido por Agência Guppy