ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Qual o melhor trajeto para se chegar a Região dos Lagos?

Data: 26/11/2018

Opção de caminho pela Região Serrana, passando por Nova Friburgo e seu distrito Lumiar até Casemiro de Abreu. Depois é só pegar um trechinho de BR-101 para acessar Rio das Ostras - Reprodução

Marcello Medeiros

Por muitos anos, o principal acesso dos teresopolitanos para se chegar às praias da Região dos Lagos foi atravessando trecho da Baixada Fluminense e Região Metropolitana do Rio de Janeiro para pegar a BR-101 e em seguida a Via Lagos. Porém, com a escalada da violência em alguns dos pontos de ligação entre a Serra e Mar, outras rotas têm sido cada vez mais procuradas. Um dos principais motivos de preocupação que fazem muita gente buscar caminhos até mais longos, mas menos perigosos, é a situação vivida na BR-493, com muitos assaltos e protestos de moradores do seu entorno questionando obras em atraso e também a falta de segurança. Nesta edição, separamos outras possibilidades de caminhos que podem ser utilizados pelos teresopolitanos daqui em diante – visto que com o aumento da temperatura e o período de férias, a água salgada vai ser o destino de muita gente.
A questão da violência na BR-493 – a que corta a região de Manilha - tem preocupado tanto que, na semana passada, o procurador-geral de Justiça interino, Ricardo Ribeiro Martins, recebeu representantes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na sede do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), com o objetivo de apresentar e discutir dados e informações detalhadas sobre a situação da segurança pública da rodovia no trecho de cerca de 30 km entre São Gonçalo e o distrito de Manilha, em Itaboraí, onde encontra a BR-101. Os índices de violência no trecho da rodovia entre um shopping em e o trevo perto da rodovia federal, mostram que é ele considerado pela PRF como o mais violento entre todas as rodovias do país.  “No encontro, os representantes da PRF reforçaram a importância da aplicação de medidas efetivas contra a escalada da violência, lançando mão de estratégias de inteligência, para que as quadrilhas que atuam naquelas comunidades sejam monitoradas, sufocadas, desarticuladas e, consequentemente, detidas”, divulgo u a PGJ. O grupo solicitou apoio ao MPRJ para que, como interlocutor com as forças de segurança pública no estado, reforce a necessidade da continuidade no apoio aos trabalhos de inteligência, patrulhamento e intervenções no trecho da rodovia, a fim de que, juntas, as forças de segurança pública estudem quais medidas podem ser adotadas para contribuir na redução dos índices de violência na região.

Protestos na região de Manilha - Foto reprodução
Outro problema são as obras em atraso ou abandonadas há anos na Magé x Manilha, motivo de protestos que fecharam o trânsito totalmente por várias horas na semana passada – em pleno feriado prolongado. Por esse caminho, o teresopolitano percorre 190 quilômetros para chegar a Rio das Ostras, cidade mais conhecida e frequentada daquela região e utilizada como base para essa pesquisa de referência rodoviária. O trajeto inclui a BR-116 (Rio-Teresópolis), BR-493 (Magé-Manilha) e BR-101. Nessa última rodovia, é possível escolher entre seguir por ela até Rio das Ostras, após Casemiro de Abreu, ou pegar a Via Lagos por Silva Jardim.

Outros caminhos
A preocupação com o aumento da violência nesse trecho tem feito muita gente buscar outras rotas para chegar a Rio das Ostras e outros municípios populares nessa região no período de Verão, principalmente. Um deles é por Cachoeiras de Macacu. Nesse roteiro, a distância passa para 205 quilômetros, também percorridos em aproximadamente três horas. É preciso descer a Serra até Parada Modelo, em Guapimirim, pegando então a bonita RJ-122, rodovia com asfalto moderno e excelente vista para as cadeias de montanhas da Serra dos Órgãos e Parque Estadual dos Três Picos. Nesse caminho, são duas possibilidades. Seguir por 35 quilômetros até as proximidades de uma cervejaria e depois pegar a direita, cruzando a RJ-116 e saindo na BR-101 em Tanguá, ou continuar pela Rio-Friburgo até o encontro com a RJ-142, já depois de Lumiar, chegando na 101 nas proximidades de Casemiro.
Outro caminho muito procurado pelos teresopolitanos preocupados com a violência é o que atravessa a Região Serrana, por Nova Friburgo. São 68 quilômetros até o município vizinho, via RJ-130. Depois é preciso pegar a RJ-142, em direção a Lumiar, cruzando esse pequeno e convidativo povoado. Na ida, muita descida até chegar a Casemiro de Abreu, pegando um pequeno trecho na BR-101 para acessar depois Rio das Ostras. Nessa opção, são 179 quilômetros percorridos no mesmo tempo das outras com maior distância, visto que é preciso cruzar trechos urbanos.

 

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Maior festival multicultural do país abre inscrições na próxima semana

Estácio Teresópolis participa de ação no Dia Mundial da Limpeza

Teresópolis sedia mais uma edição do "Domingo Natural Integrativo"

Conselho Tutelar: 23 candidatos concorrem ao cargo em Teresópolis

Tite inclui Gabigol entre os convocados para amistosos da seleção

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ