ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Prefeito Vinícius Claussen anuncia seus primeiros secretários

Data: 20/06/2018

Henrique Carregal, ex-presidente da Aciat. é o novo Secretário de Governo - Foto arquivo

Anderson Duarte

Saíram os primeiros nomes do esperado secretariado do prefeito Vinícius Claussen. Nesta terça-feira, 19, pelas redes sociais, o Chefe do Executivo eleito no pleito suplementar do início do mês, anunciou seus primeiros nomes, e foram quatro pastas e uma deliberação coletiva. Na Segurança Pública, Marcos Antonio Da Luz; na Ouvidoria Geral, Anderson Gutemberg; na Controladoria Geral do município Yara Medeiros; na estratégica pasta do Governo, Henrique Carregal e ainda uma escolha interativa promovida para a mudança e escolha do nome para a Educação, onde segundo o novo gestor, todos os servidores da área poderão ajudar a escolher o novo secretário. Até a próxima sexta-feira, 22, o prefeito deve anunciar todos os nomes quando participa de entrevista ao Grupo DIÁRIO.
A mudança que mais chamou a atenção até o momento foi a escolha interativa promovida na pasta da Educação. Segundo as redes sociais do político, a promessa era de total confiança na escolha da categoria. “Queremos contar com todos os servidores efetivos, concursados, que estão ativos na Secretaria Municipal de Educação. Para participar da escolha é necessário comparecer com um documento de identificação com foto e cópia do último contracheque. No local da consulta o servidor irá sugerir em um formulário o nome de um colega concursado, ativo, da área de Educação que possa ocupar a pasta. Ao final da consulta os cinco nomes mais indicados irão participar de um processo seletivo conduzido diretamente pelo Prefeito Vinícius Claussen que escolherá o novo Secretário com foco na capacidade técnica, afinidade com as novas práticas políticas exigidas, além de habilidades e competências profissionais e emocionais para encarar os desafios que a Educação e a nova gestão requer”, explica o chamamento publicado nas redes sociais.
Os nomes divulgados por Vinicius Claussen não são assim novidades absolutas no meio político teresopolitano, como se esperava de uma candidatura que promoveu ao longo de toda a campanha o discurso do novo, mas pode ser um reflexo das escolhas necessárias para que o gestor atravessa uma caminhada administrativa das mais árduas possíveis pela frente. Como nos próximos dois anos e meio, Claussen terá que se superar para cumprir seus objetivos e deixar a casa em ordem, algumas escolhas conservadoras devem ter sido tomadas para resguardar a necessidade de vencer a maior crise política administrativa de todos os tempos. Um destes exemplos é a técnica Yara Medeiros, que neste mesmo cargo já passou por gestões como a de Jorge Mario, Arlei Rosa, Márcio Catão. Assim, como conhece bem o espinhoso setor da gestão, pode ser a segurança necessária, sem muita mudança.
Mesma situação de Marcos Antonio Da Luz, hoje considerado a melhor escolha do prefeito interino Pedro Gil. Também muito experiente e com resultados impressionantes nos últimos meses, Da Luz tem sido quase uma unanimidade na área. Reabriu o deposito municipal de veículos apreendidos, restabeleceu a politica de tolerância zero aos desrespeitos no trânsito da cidade e ainda promoveu mudanças estruturais significativas na Guarda Civil Municipal, maior estrutura de toda a pasta. Com muita seriedade, Da Luz mexeu em uma área antes ocupada apenas por interinos e praticamente esquecida nas ultimas temerárias gestões. Muito por conta disso, também na segurança poucas mudanças estratégicas foram adotadas pelo prefeito Claussen.
Em diversas entrevistas após sua vitória nas urnas, Vinicius Claussen, avisou que pretende iniciar um ciclo de transparência, com participação da sociedade em todas as decisões administrativas. Segundo ele, a primeira medida será um choque de gestão. Também anunciou que apresentará um pacote de parcerias público-privadas em diversas áreas da administração, com ênfase na iluminação pública e turismo. Já se posicionando com relação aos novos rumos de uma secretaria estratégica e problemática, a da saúde, Claussen também avisou que será criada força-tarefa exclusiva para o sistema de saúde. Segundo ele, o vice-prefeito, Dr. Ari Boulanger, estará junto ao futuro secretário da pasta. "Essa força-tarefa irá durar enquanto a principal porta de entrada da saúde, a UPA, estiver em estado de calamidade", explica.
Assim como Da Luz e Yara, Henrique Carregal traz em sua historia a participação em outro governo, e na área do Turismo, promoveu uma espécie de choque de gestão na pasta. Promoveu cursos, capacitou servidores e deve ajudar na estratégica pasta de Governo, ao difícil relacionamento entre Executivo e Legislativo. Está na pasta do Governo a principal missão de promover esse diálogo. Como temos mostrado ao longo das últimas semanas, será necessário que uma série de mudanças dê ferramentas de gestão ao novo prefeito e sem esse entendimento com a Câmara de Vereadores, será praticamente impossível fazê-lo. Carregal, entre muitas missões, tem essa primária função. Promover capacidade de gestão em um orçamento no fim e com capacidade de remanejamento ínfima, resultados de um desgoverno promovido pelo PP nos últimos dois anos na cidade. Apenas na Ouvidoria Geral uma novidade de verdade, entretanto com pouco, ou quase nenhum efeito prático na gestão geral. O empresário Anderson Gutemberg não possui histórico de participação na política.

  

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Maior festival multicultural do país abre inscrições na próxima semana

Estácio Teresópolis participa de ação no Dia Mundial da Limpeza

Teresópolis sedia mais uma edição do "Domingo Natural Integrativo"

Conselho Tutelar: 23 candidatos concorrem ao cargo em Teresópolis

Tite inclui Gabigol entre os convocados para amistosos da seleção

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ