ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Onda de crimes assusta moradores de Albuquerque

Data: 31/05/2019

Moradores de Albuquerque relatam que estão com medo de andar nas ruas do bairro por conta dos casos de ação de criminosos na região

Moradores da localidade de Albuquerque estão assustados com o número de casos de furtos e assaltos que vem crescendo nas últimas semanas e pedem que as autoridades tomem providências urgentes. De acordo com as reclamações, o trecho da Estrada Holanda, que fica no entorno da Igreja Nossa Senhora de Montserrat , se tornou um local muito perigoso tanto para quem passa por ali quanto para os moradores. Em menos de um mês, ocorreram quatro arrombamentos de residência na região e ainda haveria outros casos de ações criminosas que não foram registrados na polícia. A pedido dos moradores que entraram em contato pelo WhatsApp da redação do Jornal O Diário, nossa reportagem foi até Albuquerque para saber mais sobre o problema que está deixando muitos deles com medo de serem vítimas de alguma ação criminosa no local. Foi criado até um grupo de mensagens entre os vizinhos para que eles possam decidir como agir quanto aos problemas da localidade. 
“Há três semanas estamos sofrendo com assaltos na região do bairro de Albuquerque. Nesse período, quatro casas foram arrombadas e levaram tudo de valor que estava dentro. Agora estão assaltando à mão armada, durante o dia, inclusive mulheres com crianças, nas redondezas da igreja católica Nossa Senhora de Montserrat. Estamos muito preocupados e o posto de polícia de Albuquerque está desativado. Na estrada Holanda, já foram três casos em uma semana”, relatou a moradora Rosângela.
Na Estrada Holanda, verificamos que há alguns pontos sem asfalto e até sem iluminação, facilitando a ação de criminosos durante a noite e aumentando a insegurança. No local, conversamos com a moradora Dora Fontoura. Ela contou que toda a vizinhança precisou mudar os hábitos por conta do crescimento no número de crimes: “Aumentou bastante, nunca tivemos medo assim de deixar a casa aberta, sem grade e andar à noite a qualquer hora. A gente andava sossegado e agora já tem medo. Teve assalto em carro da Oi, levaram carteira e celular de um rapaz, teve duas moças que uns homens de moto levaram celulares delas e também os furtos nas casas”, contou. 
De acordo com os relatos, há cerca de um mês a vizinhança vem percebendo a presença de pessoas que não são moradoras de lá agindo de forma suspeita, tanto em Albuquerque, como também no Suspiro. Dora Fontoura afirma que a saída do policiamento que ficava na margem da RJ-130, em Albuquerque, proporcionou com que os criminosos começassem a agir com frequência na localidade: “Desde que abandonaram aquele posto, para nós ficou ruim. Aquele posto foi criado para isto mesmo, para a segurança do bairro. Agora está sempre fechado lá, sem ninguém”.

Posicionamento do 30º BPM
O Coronel Marco Aurélio, comandante do 30º BPM, recebeu nossa equipe para explicar como a Polícia Militar pretende agir frente a esta situação para trazer a sensação de segurança de volta à população daquela localidade. Ele afirmou que uma equipe já estará agindo de imediato em Albuquerque e o atendimento ainda será ampliado: "Alguns tipos de delito, vez por outra, aumentam em uma localidade, diminuem em outra e nós vimos que realmente, de março para maio, a quantidade de furtos em residência aumentou naquela região. No início de abril, nós criamos a 4ª Companhia, sob o comando do Tenente Felipe, que engloba aquela área. Hoje mesmo, através dessa notícia que vocês me trouxeram e atendendo à demanda daquela comunidade, nós vamos fazer uma reunião entre o setor de Inteligência e a 4ª Companhia para planejarmos uma nova ação para debelar de vez esse tipo de crime". 

Importância de registrar as ocorrências
O comandante alertou ainda que é necessário que os moradores façam o registro de qualquer crime que tenham sido vítimas para que as equipes de segurança possam ter o controle de onde precisam reforçar o trabalho: "Para nós, é importante chegar essa comunicação porque faz essa troca com a polícia, mas sempre orientamos que quando acontecer qualquer delito, faça o registro, porque às vezes podem estar acontecendo muito mais ocorrências do que imaginamos e não tem como sabermos sem o registro policial. Então, oriento a comunidade que reclame, se aproxime da Polícia Militar para que possamos fazer um policiamento voltado para a demanda social".

Posto policial desativado
Sobre a saída do policiamento que ficava no imóvel na Teresópolis-Friburgo, o Coronel Marco Aurélio explicou que foi uma mudança necessária, mas que em breve o BPRv também prestará auxílio: "Nós tínhamos muita dificuldade com acidentes de trânsito na RJ-130, porque são de competência exclusiva do BPRv que só tinha um destacamento na divisa com Nova Friburgo, então era uma demora muito grande para o deslocamento, principalmente  em dias de chuva ou à noite e a via ficava interrompida por muito tempo.  Sabendo disso, nós conversamos com o Comando Geral que entendeu ser melhor colocar ali um destacamento policial rodoviário, que vai atender a via e também vai garantir um fluxo maior de policiais naquela região".

Ação imediata
Por fim, Marco Aurélio enfatizou que os moradores podem contar com o apoio da PM: "Eu posso garantir que já vamos mandar algumas viaturas ao local para colher informações sobre elementos que andam furtando por lá para que possamos ter uma ação assertiva sobre o que está acontecendo".

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Marido de deputada federal é morto a tiros em Niterói

Bolsonaro diz que avalia reduzir para 4% imposto sobre produtos de TI

Programa Estadual de Cirurgia Bariátrica é referência

Moro diz que pode ter cometido um descuido formal

Mais assentos preferenciais em transportes intermunicipais

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ