ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Oito casos de meningite confirmados em Teresópolis

Data: 05/10/2018

A Divisão de Vigilância Epidemiológica (DVE), vinculada à Secretaria Municipal de Saúde, informa que em 2018 Teresópolis apresentou 20 casos notificados de suspeita de meningite, sendo oito positivos - Marcello Medeiros

Marcello Medeiros

Há cerca de duas semanas, a informação que um paciente com meningite estava internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) causou preocupação aos teresopolitanos. Esta semana, O DIÁRIO tomou conhecimento de mais um caso, agora no Hospital das Clínicas Costantino Ottaviano, onde está internado e em tratamento um paciente em quadro de meningite pneumocócica. De acordo com a Assessoria de Comunicação da Fundação Educacional Serra dos Órgãos (FESO), responsável pelo HCTCO, “está em bom estado geral”. Em resposta a questionamento da reportagem do jornal e DIÁRIO TV, a  Divisão de Vigilância Epidemiológica (DVE), vinculada à Secretaria Municipal de Saúde, informa que em 2018, até o presente momento, Teresópolis apresentou 20 casos notificados de suspeita de meningite, dentre estes, oito foram positivos. “Por ser uma doença de notificação compulsória, todo caso suspeito de meningite é comunicado à DVE, que faz o processo de triagem e envio do material coletado nos hospitais de referência para o laboratório do Estado. Com relação ao paciente internado no HCTCO (Hospital das Clínicas de Teresópolis Costantino Ottaviano), a DVE aguarda emissão de laudo laboratorial para produção de nota técnica”, informa ainda secretaria de Saúde, através da Assessoria de Comunicação da Prefeitura.
Conforme orientação do Ministério da Saúde, e sob supervisão do Programa de Meningites da Secretaria Estadual de Saúde, a DVE realiza o acolhimento, fornece orientações aos familiares próximos que tiveram contato com o indivíduo suspeito e efetua a quimioprofilaxia nos casos necessários. A Secretaria de Saúde ressalta que aplica a vacina Meningocócica C para crianças de 03 meses a 14 anos, conforme calendário nacional de imunização.
A meningite é uma inflamação das meninges, que são as membranas que envolvem o cérebro. Existem diversos tipos de meningite, e para cada um deles há causa e sintomas específicos. A maioria dos casos de meningite é provocada por vírus ou bactérias, mas a doença também pode ser transmitida via fungos. Outros fatores também podem desencadear num quadro de meningite, como alergias a determinados medicamentos, alguns tipos de câncer e também inflamações. A causa da meningite varia de acordo com o tipo. A mais comum das meningites é aquela causada por vírus, mas há casos também da doença provocada por bactérias. Menos comum, a meningite causada por fungos também pode surgir. A meningite viral pode ser causada por diversos tipos de vírus e é a forma mais comum e menos perigosa de meningite, pois muitas vezes nem exige tratamento. Os vírus causadores da meningite podem ser transmitidos via alimentos, água e objetos contaminados e são mais comuns entre o fim do verão e o começo do outono. Meningite bacteriana é a mais grave de todas. Ela ocorre geralmente quando a bactéria entra na corrente sanguínea e migra até o cérebro. Pode acontecer, também, de a doença ser desencadeada após uma infecção no ouvido, fratura ou, mais raramente, após alguma cirurgia.

Sintomas
Os primeiros sinais de meningite, quando manifestados, são facilmente confundidos com os sintomas típicos da gripe. Eles geralmente aparecem de algumas horas até dois dias após a infecção. São eles: febre alta repentina; forte dor de cabeça; pescoço rígido; vômitos; náusea; confusão mental e dificuldade de concentração; convulsões; sonolência; fotossensibilidade; falta de apetite; rachaduras e presença de manchas vermelhas na pele. Bebês recém-nascidos portadores de meningite também podem apresentar febre, dor de cabeça, vômitos, confusão, rigidez corporal, moleira tensa ou elevada e inquietação. Às vezes, apenas irritabilidade em crianças ou choro fácil, diferente do normal, pode ser um indício de uma meningite. Dependendo da causa, meningite pode levar a complicações mais grave e pode, inclusive, levar o paciente à morte. Por isso, é muito importante que, ao primeiro sinal da doença, você procure um especialista para que ele possa fazer o diagnóstico. Se confirmada a doença, o tratamento deve começar imediatamente. O diagnóstico de meningite pode ser feito pelo especialista tendo como base o histórico do paciente, um exame físico e alguns exames específicos.

Caso do HCTCO
No tipo registrado no caso do paciente internado no Hospital das Clínicas, a meningite pneumocócica é um tipo grave causado ela bactéria Streptococos pneumoniae, que é a mesma que pode provocar o desenvolvimento de pneumonia. Geralmente, este tipo de bactéria está presente no nariz ou garganta, mas mantém-se adormecida, não causando qualquer tipo de sintoma. Porém, algumas pessoas são mais sensíveis à bactéria e, nesse caso, ela torna-se ativa, podendo ser transportada pelo sangue até ao cérebro, onde provoca a inflamação das membranas e causa sintomas como: Febre acima de 38º C; Vômitos e náuseas constantes; Vermelhidão por todo o corpo; Dificuldade para movimentar o pescoço; Hipersensibilidade para a luz; Confusão e delírios; Convulsões. Além disso, quando este tipo de meningite surge nos bebês também pode provocar outros sinais como moleira funda, recusa para comer, irritabilidade excessiva ou pernas e braços muito rígidos ou completamente moles, como uma boneca de pano.

 

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jovens vão auxiliar a Guarda Municipal usando bicicletas

Dodge diz ao Supremo que Lula não pode conceder entrevistas na prisão

Campanha para descarte correto de medicamentos

Campanha de renegociação de dívidas continua na PMT

Posto de Saúde de Araras recebe ação do Outubro Rosa

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ