ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

MP apresenta dados sobre feminicídio no estado

Data: 01/12/2017

Dados do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro apresentados por meio do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Violência Doméstica - FOTO MP/Divulgação

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Violência Doméstica (CAO Violência Doméstica/MPRJ), apresentou na última segunda-feira (27), no auditório do edifício-sede, dados sobre a violência contra a mulher no Rio de Janeiro. Desde 2015 foram oferecidas 152 denúncias por feminicídio no Estado: 17 em 2015; 57 em 2016 e 78 em 2017. Os números foram divulgados durante o evento "Políticas europeias de combate à violência contra a mulher", que discutiu políticas públicas sobre o tema tanto no Brasil como em países europeus.

O procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, fez a abertura e alertou para a importância de manter o assunto em pauta: "Parece paradoxal precisarmos discutir esse assunto no século XXI, mas sabemos que é muito importante. Tenho certeza que trabalhos como esse aumentam a conscientização e ajudam a reverter o quadro", disse Gussem. A coordenadora do CAO Violência Doméstica/MPRJ, promotora de Justiça Lucia Iloizio, observou que o aumento exponencial na quantidade de denúncias oferecidas nos últimos três anos não significa necessariamente que cresceu o número de feminicídios. Isso porque há casos ocorridos em anos anteriores computados em 2016 e 2017, data em que a ação foi ajuizada.
"É um número expressivo de um crime intolerável. Nessa semana de combate à violência contra a mulher o que se busca é a devida responsabilidade do agressor e o apoio às vítimas” diz Lucia Iloizio, que acrescentou que o MPRJ tem se empenhado em explorar a tecnologia e a inteligência, como o uso da plataforma digital "MP em Mapas" para o enfrentamento e prevenção de crimes: “Temos feito uma série de outros levantamentos que serão divulgados em momento oportuno”, completou.

Os dados do MPRJ mostram que a grande maioria das vítimas tem entre 20 e 40 anos. O município do Rio de Janeiro é o que registrou a maior parte, foram 74 denúncias. Em seguida aparecem Nova Iguaçu (16), São Gonçalo (14), Duque de Caxias (9) e Niterói (9). Vale ressaltar que o MPRJ conseguiu concluir aproximadamente 60% dos inquéritos. Interessados em analisar outras informações sobre violência contra a mulher podem acessar a plataforma "MP em Mapas" do MPRJ, que permite ao usuário selecionar os dados que deseja exibir no mapa interativo. Estão disponíveis mais de 200 camadas de informações, boa parte delas georreferenciadas, entre elas os locais de ocorrências de feminicídios e outros crimes contra a mulher, sete categorias de dados do "Dossiê Mulher", entre outras.

 

 

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Veja as dicas da OMS para se proteger do novo coronavírus

Pessoas que tiveram contato com infectado por Covid-19 são monitoradas

Aumenta número de ocorrências de animais em estradas

Mesmo com chuvas, Prefeitura comemora "Carnaval Teresópolis 2020"

Coronavírus: ministro da Saúde descarta restrição a voos e cruzeiros

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ