ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Moradores da Rotariana convivem com temor de acidentes em seus quintais

Data: 23/07/2018

Para os moradores da Rotariana, este foi um fim de semana onde literalmente não se conseguiu dormir. Foram três acidentes seguidos, e em um dos casos, um automóvel foi parar dentro do seu quintal, que fica uns 40 metros de distância da Avenida

Imagine conviver com a possibilidade de ter carros em alta velocidade invadindo seu quintal, sua varanda e até o seu telhado. Pode parecer absurdo, mas todas essas situações elencadas já aconteceram efetivamente e algumas acabam se repetindo com frequência em trecho dos mais movimentados da Avenida Rotariana, no Soberbo. Depois de mais um final de semana de acidentes do tipo sendo registrados na localidade, moradores da via perderam a paciência com a ausência de respostas para anos de queixas e pedidos de providências e resolveram buscar auxilio junto ao Ministério Público para que a situação receba intervenção das autoridades de segurança pública. Especialmente no trecho próximo à entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, diversos veículos já foram projetados em ribanceira de mais de 50 metros para dentro dos quintais de residências, escadas de acesso e até em um dos telhados da localidade. Temerosos com a possibilidade de registro de vítimas fatais, os moradores esperam que uma resolução para os corriqueiros acidentes venha a ser implantada em toda a via, que apesar das características de estrada, ainda corta trecho urbano.
Diversos foram os casos aqui nas páginas de O DIÁRIO publicados ao longo dos anos e um dos episódios mais impressionantes um automóvel ficou preso entre a escada que dá acesso a casa e uma das paredes do imóvel. Na ocasião o motorista ficou preso nas ferragens e foi necessário um trabalho muito cuidadoso da equipe do Corpo de Bombeiros para cortar o veículo e fazer a remoção. Somente quando a claridade do dia começou a apareceu é que foi possível notar o percurso do veículo, que deixou marcas de pneu da tentativa de parar o veículo, mas não conseguiu e assim foi destruindo tudo pelo caminho, inclusive canos de abastecimento de água, luz, cercas e cabos. O que também expõe outra problemática da localidade, os constantes acidentes também deixam as casas sem os serviços básicos e geram muitos prejuízos estruturais nestas residências. 
Logo após este acidente, a prefeitura chegou a anunciar a instalação de dezesseis metros de guard-rail, uma espécie de proteção lateral de segurança, na curva que registrou neste ultimo fim de semana três acidentes seguidos. Hoje novamente a frente da pasta da Segurança Pública e na época o responsável pela instalação, Marcos Antonio da Luz, explicou a nossa reportagem o motivo da colocação da estrutura em aço galvanizado e com pintura refletiva. “A instalação dos guard-rails se deu em consequência dos últimos acontecimentos neste trecho. Por causa dos acidentes com veículos, decidimos pela fixação dos dispositivos de segurança. Além de sinalizar a curva, também ajudam a proteger os moradores das casas próximas à estrada. A única maneira de diminuir a ocorrência de acidentes é sinalizar bem os locais e respeitar os limites de velocidade”, ponderou Da Luz. 
E realmente foi o guard-rail que conseguiu evitar que um dos carros envolvidos em acidentes neste final de semana se projetasse as casas novamente. A forma ondulada do dispositivo de segurança aumenta ainda mais a resistência da chapa de defesa durante o impacto e segura parte da força exercida pelo peso do carro. Segundo os moradores, uma das soluções para reduzir o risco naquela parte de Avenida seria a instalação de quebra-molas ou redutores de velocidade, principalmente na pista com sentido ao Centro da cidade, já que o excesso de velocidade é responsável por muitas colisões. “Não tem como um automóvel se projetar mais de 50 metros como temos visto ultimamente sem que esteja em alta velocidade. A curva é perigosa e em ambos os sentidos, Soberbo ou Alto, os carros chegam nela em alta velocidade. O trecho não possui nenhuma limitação física de velocidade, não tem radar, nem nenhum tipo de empecilho para que os motoristas pisem fundo, o que acontece é que eles pisam mesmo, e não conseguem fazer a curva acentuada antes da entrada do Parque. E não é apenas no sentido Soberbo, já que também é muito comum no sentido inverso também. Algum tipo de anteparo que fizesse essa velocidade reduzir seria perfeito para nossa região e muito simples para o poder público”, explica um morador da localidade que este fim de semana literalmente não conseguiu dormir, já que foram três acidentes seguidos, e em um dos casos, um automóvel foi parar dentro do seu quintal, que fica uns 40 metros de distância da Avenida Rotariana.
Segundo relatos de vizinhos, muitos desses veículos que vem do Soberbo em direção ao Centro da cidade abusam da velocidade e quando chegam na curva de entrada no Bairro do Alto enfrentam uma dificuldade para segurar o veículo, tanto para contornar o trecho, quanto nos casos em que alguma movimentação surge de repente em seu caminho. O trecho da ponte que fica em frente à entrada do Parque Nacional na Avenida Rotariana é o local em que o maior número de acidentes é registrado. Entre os principais motivos estão imprudência, como excesso de velocidade e até mesmo o clima, já que frequentemente o nevoeiro desce e diminui a visibilidade dos motoristas, tornando ainda mais perigoso o trajeto. Sob neblina, a pista se torna uma armadilha ainda maior para quem não respeita os limites de velocidade, que no local é de 40 quilômetros por hora. Há ainda motorista que nem sequer se preocupam em ligar os faróis nessa condição. É uma situação que ajuda a tornar o local como um dos mais perigosos para se trafegar no município. A alta incidência de problemas reflete a necessidade de atenção de todos os motoristas que passam por aquele local, mas também exige mais cuidado das autoridades com relação a instalação de mecanismos de segurança.

 

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Covid-19: adultos são fonte de infecção mais comum que crianças

Latinos viajam aos Estados Unidos em busca de imunização

Novos dados confirmam rejuvenescimento da pandemia

Fiocruz produz 40% das vacinas contra a Covid-19 no Brasil

Butantan entrega mais 1 milhão de doses de vacinas contra covid-19

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ

Desenvolvido por Agência Guppy