ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Incêndio atinge Museu Nacional do Rio de Janeiro

Data: 02/09/2018

Incêndio atinge prédio do Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista, na zona norte da cidade - Vitor Abdala/ Agência Brasil

Por Renata Giraldi - Repórter da Agência Brasil Brasília

Um incêndio de proporções ainda incalculáveis atingiu, no começo da noite deste domingo (2), o Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na zona norte da capital fluminense. O prédio histórico de dois séculos foi residência da família real brasileira e tem um dos acervos mais importantes do país – são cerca de 20 milhões de peças.

O Corpo de Bombeiros do Rio foi acionado às 19h30. Homens de quatro quartéis trabalham no local, que fica dentro do parque nacional da Quinta da Boa Vista. O prédio tem três andares, é ligado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o fogo toma de conta de boa parte da construção.

Até o fechamento desta reportagem, os bombeiros não dispunham de informações sobre vítimas. O museu estava fechado para visitação no momento em que o incêndio começou. Por segurança, há homens também da Polícia Militar e profissionais de saúde em ambulâncias.
História

Mais antiga instituição histórica do país, o Museu Nacional do Rio foi fundado por D.João VI, em 1818. É vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com perfil acadêmico e científico. Tem nota elevada por reunir pesquisas raras, como esqueletos de animais pré-históricos e múmias.

O local foi sede da primeira Assembleia Constituinte Republicana de 1889 a 1891, antes de ser destinado ao uso de museu, em 1892. O edifício é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

No acervo, com cerca de 20 milhões de itens, há diversificação nas peças, pois reúne coleções de geologia, paleontologia, botânica, zoologia e arqueologia. Há, ainda, uma biblioteca com livros com obras raras.

O Museu Nacional do Rio oferece cursos de extensão e pós-graduação em várias áreas de conhecimento. Para esta semana, era esperado um debate sobre a independência do país. No próximo mês, estava previsto o IV Simpósio Brasileiro de Paleontoinvertebrados no local.

Incêndio atinge Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista, na zona norte do Rio de Janeiro - Vitor Abdala/ Agência Brasil


Não há registros de vítimas, segundo assessoria da instituição

Informações preliminares sobre o incêndio que atinge na noite de hoje (2) o Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na zona norte da capital fluminense, não deixou vítimas. Porém, destrói coleções inteiras e as exposições que estavam em duas áreas da frente do prédio principal.  

O incêndio que atinge o edifício histórico de 200 anos começou por volta das 19h30 deste domingo. De acordo com a assessoria de imprensa do Museu Nacional, as chamas atingiram as salas da administração, além dos locais em que havia exposições e coleções inteiras.
O levantamento completo do que está sendo destruído ainda não pôde ser realizado, porque o fogo é intenso no local e há riscos de explosões. De acordo com a assessoria, no momento em que houve o incêndio, os quatro seguranças que estavam no prédio conseguiram escapar.

O edifício foi residência da família real brasileira e tem um dos acervos mais importantes do país, são mais de 20 milhões de peças em distintas áreas.

Homens de quatro quartéis do Corpo de Bombeiros trabalham no local, que fica dentro do parque nacional da Quinta da Boa Vista. O prédio tem três andares e o fogo toma de conta de boa parte da construção.

 

Bombeiros de 7 quartéis tentam controlar chamas no Museu Nacional

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro pediu apoio a homens e viaturas de sete quartéis para tentar controlar o incêndio que atinge hoje (2) o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na zona norte da capital fluminense. A assessoria informou que há escadas magirus suficientes e água também.

Os bombeiros informaram ainda que, apesar da extensão do incêndio, não há aparentemente risco de as labaredas se alastrarem para as áreas verdes ao redor do prédio.

Pela análise preliminar, o fogo atingiu a maior parte do edifício – duas áreas em que estão coleções e exposições, além da parte administrativa. Mas um setor teria sido preservado.


Temer diz que incêndio provocou perda “incalculável”

Por Agência Brasil Brasília

O presidente Michel Temer lamentou na noite deste domingo (2) o incêndio que atinge o Museu Nacional do Rio de Janeiro. Em nota, ele lembrou que foram “perdidos 200 anos de trabalho, pesquisa e conhecimento". Temer classificou o episódio como perda “incalculável”.

“Incalculável para o Brasil a perda do acervo do Museu Nacional. Hoje é um dia trágico para a museologia de nosso país. Foram perdidos duzentos anos de trabalho, pesquisa e conhecimento.”

Em seguida, a nota afirma que: “O valor para nossa história não se pode mensurar, pelos danos ao prédio que abrigou a família real durante o Império. É um dia triste para todos os brasileiros”.

O Corpo de Bombeiros do Rio foi acionado às 19h30. Segundo a assessoria dos bombeiros, homens de quatro quartéis trabalham no local que fica dentro do parque nacional da Quinta da Boa Vista. O prédio tem três andares e o fogo toma de conta de boa parte da construção. Não há registro de feridos.

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Bombeiros encerram buscas em prédio que desabou na Baixada Fluminense

Academia de Letras volta com atividade presencial no Dia da Cultura

Exigência de máscara e comprovante de vacinação para entrada no Fórum

FIRJAN: A gestão em Petrópolis e Teresópolis

Presidente Bolsonaro afirma que governo não interferirá em preços

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ

Desenvolvido por Agência Guppy