ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Imóveis demolidos para duplicação de ponte

Data: 21/08/2019

O objetivo da demolição, prevista já há alguns anos, é permitir a duplicação da passagem de veículos que atende a dez comunidades da região, bairros duramente afetados na maior catástrofe natural do país, a Tragédia de 12 de Janeiro de 2011

No início desta semana, equipes da Secretaria Estadual de Obras iniciaram mais uma etapa de demolição de imóveis construídos nas margens do rio Quebra-Frascos, na localidade conhecida como Ponte do Imbuí. O objetivo da derrubada, prevista já há alguns anos, é permitir a duplicação da passagem de veículos que atende a dez comunidades da região, bairros duramente afetados na maior catástrofe natural do país, a Tragédia de 12 de Janeiro de 2011. O trecho em questão recebeu algumas obras meses depois da impressionante enxurrada, a principal delas a canalização de parte do rio, que recebe ainda água de pequenos cursos d´água oriundos do Parque do Imbuí e Caleme. Na ocasião foram levados ao chão pequenos estabelecimentos comerciais que tiveram os fundos danificados pela força do rio. Os que resistiram chegaram a funcionar como um pequeno mercado e um bar, finalizados agora para a demolição promovida pelo Seobras.


Mesmo com a construção de uma passagem para pedestres em uma das laterais, o trecho ainda é bastante estreito para o volume cada vez maior de veículos
A pequena passagem chegou a ser parcialmente interditada alguns anos antes da Tragédia, por problemas em sua fundação. Mesmo com a construção de uma passagem para pedestres em uma das laterais, o trecho ainda é bastante estreito para o volume cada vez maior de veículos. Importante destacar que é o principal acesso de bairros como Posse, Cascata do Imbuí, Caleme, Parque do Imbuí, Granja Florestal, Salaco, Salaquinho, Campo Grande e Dente de Ouro. Sem essa ponte, é preciso dar volta por uma longa distância para acessar o Centro, via Arrieiro, por estradas bastante precárias, ou por dentro de um condomínio no Caleme, vizinho à BR-495, o que dependeria ainda de entendimento com a administração.


Em julho passado, o governador Wilson Witzel autorizou o início das obras de contenção e drenagem de encosta nas cidades de Teresópolis e Nova Friburgo. As intervenções, que fazem parte das obras de recuperação da Região Serrana, somam investimentos em torno de R$ 15 milhões, recursos do Orçamento Geral da União, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional. - Estamos trabalhando em parceria com as prefeituras fluminenses para ajudar na recuperação dos municípios. Estamos olhando para todas as cidades para garantir qualidade de vida para a população – disse o governador em evento realizado no município.
Em Teresópolis serão investidos R$ 7,8 milhões para obras de contenção de encostas na localidade do Salaco, em quatro pontos. Para todas as obras, o prazo previsto de execução, após a liberação dos recursos pela União, é de 300 dias. Já em Nova Friburgo, serão duas intervenções. Na localidade Rui Sanglard, as obras serão realizadas nas ruas José Polleti e Isaías Medeiros. O investimento é de R$ 2,7 milhões. Outro local da cidade beneficiado é o bairro Jardim Califórnia, onde os investimentos chegam a R$ 4,4 milhões. Além das obras em andamento em Teresópolis, foi implantado no município um posto avançado da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras para acompanhar e dar suporte a novos investimentos.

 

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Bolsonaro anuncia saída do PSL e criação da Aliança pelo Brasil

Governo realiza ações preventivas a surgimento de manchas de óleo

Prefeitura do Rio recorre à Justiça para encampar a Linha Amarela

PM flagra tráfico em casa onde foi registrado homicídio

Enem teve 27,19% de ausentes, menor taxa desde 2009

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ