ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Família se revolta com falta de bolsa de colostomia para bebê

Data: 09/11/2020

Famílias de crianças ostomizadas vivem um verdadeiro drama em Teresópolis para conseguirem obter o material necessário para o tratamento junto à Secretaria Municipal de Saúde de Teresópolis. Sem conseguir a bolsa de colostomia adequada e outros materiais relativos à manutenção do procedimento, as redes sociais serviram tanto para pedir ajuda com doações como para fazer a denúncia do problema, através do desabafo sobre a grave situação. De acordo com o relato que foi amplamente divulgado, a família teria sido até criticada por um funcionário da Secretaria de Saúde por “expor o prefeito”. 
"Tenho uma netinha de 32 dias que usa colostomia, onde estamos há duas semanas tentando conseguir as bolsas pela prefeitura de Teresópolis, já que é garantido por lei (400/SUS) as bolsas são ostomizados . Cada dia é uma desculpa diferente. Total falta de respeito com uma bebê de 32 dias. Estas bolsas são caras e comprar torna-se quase impossível, pois além das bolsas tem pomadas, pó e outros materiais. Conseguimos as bolsas com doações das empresas que enviaram algumas, mas precisa trocar diariamente as bolsas”, afirmou a avó da criança.
Diante desta dificuldade, ela também divulgou o contato pedindo ajuda: “Minha neta não tem como usar de adulto, é impossível. Meu telefone para contato é 21 966962430”. 

Posicionamento da Prefeitura
Diante da repercussão do caso, a prefeitura divulgou a seguinte nota: “A Prefeitura de Teresópolis informa que há dois bebês recém-nascidos em Teresópolis com necessidade de uma bolsa de colostomia não usual (não houve nenhuma solicitação para a referida bolsa nos últimos 4 anos), portanto que não foram previstas em pregão para aquisição deste insumo. Mas diante da necessidade e urgência, a Secretaria de Saúde entrou em contato com o fornecedor no Rio de Janeiro, que se prontificou a fornecer as bolsas RN nesta segunda-feira (9) para ambos os pacientes para suprir as famílias por 30 dias. Neste período os bebês serão acompanhados pela equipe de Enfermagem responsável pelo programa de ostomizados no município para dar seguimento no fornecimento das futuras necessidades.”

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Teresópolis: Novo Decreto endurece medidas para enfrentamento à COVID-19

Feirarte Virtual: plataforma gratuita aproxima os expositores da Feirinha de Teresópolis dos consumidores

Fachin anula condenações de Lula, ex-presidente volta a ser elegível

Petrobras aumenta preços da gasolina e do diesel nas refinarias

Valor médio de auxílio emergencial será de R$ 250, diz Guedes

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ

Desenvolvido por Agência Guppy