ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Empresário denuncia pães piratas

Data: 26/08/2017

Rodrigo Rezende conseguiu recolher alguns produtos e talões que serviram de prova para a denúncia na Delegacia de Polícia - FOTO MARCUS WAGNER

Marcus Wagner

Um caso de utilização indevida de marca e CNPJ de uma fábrica de pães desativada foi denunciado na 110ª Delegacia de Polícia após o proprietário descobrir que vários produtos estavam sendo vendidos em comércios de Teresópolis e região com os dados da empresa nas embalagens. De acordo com Rodrigo Rezende, proprietário da fábrica que já não existe mais, trata-se de uma utilização indevida que pode configurar crime e por isso ele considera importante que tanto comerciantes quanto consumidores estejam alertas para não comprarem nada que estiver sob a marca Milla’s Bread Teresópolis Ltda.
“Não posso afirmar que ainda estão vendendo porque eu já fiz a denúncia, mas é muito contraditório, dentro do mercado de alimentos que é tão fiscalizado, que eu tenha fechado a fábrica no dia 21 de julho e depois desta data tenha ocorrido distribuição de pães com a minha marca, CNPJ e até com o telefone que já foi até suspenso. Tem dois problemas aí: uma é o risco para a população porque alimentos precisam seguir normas de produção e a outra é que a gente não sabe de onde vem esse pão, só sabe que tem uma etiqueta e vão me responsabilizar por isso se eu não tomar as medidas legais. Eu não posso segurar penalmente a atitude de pessoas que estão lucrando simplesmente usando o meu CNPJ, é meu nome que está na rua. Se alguém passa mal, vai verificar a etiqueta para processar quem fabrica”, explicou Rodrigo.
Foi identificado que além das etiquetas, os responsáveis pelos produtos irregulares também estão utilizando os talões de pedidos da fábrica de Rodrigo, o que representa mais um motivo de preocupação para ele. O empresário destacou que está percorrendo alguns comércios da cidade para verificar se encontra os produtos com a identificação falsa: “Eu fui a um comércio em Pessegueiros e vi o pão na prateleira, chamei o DPO de Água Quente que me atendeu com prontidão e muita educação, com tenente Luis Claudio, soldado Damázio e Cabo Gouveia que foram até o local, apreenderam a mercadoria, chamaram o gerente para ser testemunha e fomos até a Delegacia para registrar a ocorrência com as provas que são os pães com as etiquetas”. 
Rodrigo também afirmou que além do intuito de se resguardar quanto a eventuais problemas futuros, ele também se preocupa em alertar a população para não consumir um produto que tem origem desconhecida: “A partir daí eu vou estar protegido, mas espero que o consumidor final veja na embalagem do produto que ele compra e confere endereço, CNPJ, se é realmente de uma empresa ativa. Eu acho que se colocam uma etiqueta de outra empresa na embalagem e vendem, é falsificação de alimentos, um artigo sério do código penal. Isso implica em riscos para a sociedade, sonegação fiscal, além de falsidade ideológica. Estou me precavendo e informando à população, sempre fiz um trabalho legal de informação e não seria agora que deixaria o pessoal na mão, não quero só me livrar e deixar isso acontecer. Espero que não tenham mais produtos desse na rua, mas também peço aos comerciantes que fiquem alertas para não acabarem envolvidos com esse crime”. 



 

 

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Caixa vai dar desconto de até 90% para clientes com dívidas

Região dos Lagos se recupera de temporal da semana passada

Ministério da Saúde prepara campanha de vacinação contra sarampo

TJ do Rio terá "juízes sem rosto" contra crime organizado

PM apreende mais de 500 quilos de maconha em Macaé

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ