ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Duas fontes impróprias, algumas impraticáveis

Data: 21/12/2018

Fonte de Taumaturgo não apresenta boa qualidade para utilização há mais de três anos - Marcello Medeiros

Marcello Medeiros
 
Na última quarta-feira (18), a Secretaria Municipal de Saúde divulgou o resultado dos exames microbiológicos da qualidade da água realizados em 12 fontes da cidade. Pelas amostras coletadas e analisadas pelo Laboratório Bacteriológico de Análise de Água para Consumo Humano, da Secretaria Municipal de Saúde, apenas duas fontes estão impróprias para consumo: João Raposo – na Tijuca, e Taumaturgo. A segunda, aliás, não apresenta boa qualidade para utilização há mais de três anos. Analisando a situação de algumas das outras dez que não apresentaram problemas em relação à potabilidade, constatamos que, apesar de os exames apontarem água de boa qualidade, a situação física desses espaços acaba desestimulando a sua utilização. Na São Sebastião, em Pimenteiras, por exemplo, há muito lixo espalhado e pichações diversas ajudam a completar o estado de abandono. Já na Santa Ângela, Vale do Paraíso, azulejos históricos depredados e lodo impressionam aqueles que buscam a nascente. Recentemente, a prefeitura informou à redação do jornal O DIÁRIO e DIÁRIO TV “que estuda possibilidade de cedê-la em adoção para que seja mantida pela comunidade”.
Mesmo nos casos onde os exames mostram potabilidade, devido a alterações climáticas e do ambiente do entorno onde as fontes se localizam, os usuários são orientados a sempre ferver ou filtrar e clorar a água antes de ser consumida. Sendo assim, após filtração, devem ser adicionadas duas gotas de hipoclorito de sódio a 2,5% (água sanitária) para cada litro de água. Depois, espera-se 30 minutos antes de utilizar. O procedimento atende a Portaria 2.914/2011, do Ministério da Saúde, que dispõe sobre o controle e a vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. 
O monitoramento microbiológico da água das fontes da cidade é feito por equipe do Programa Vigiágua, setor ligado à Divisão de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde. Atendendo determinação do Ministério da Saúde, o acompanhamento é periódico, a fim de garantir que a água consumida pela população atenda ao padrão e normas estabelecidas na legislação vigente.
 
Resultado do exame microbiológico
As fontes consideradas próprias para utilização são: Fonte Saúde (Tijuca), Fonte Perpétuo (Perpétuo), Fonte Sete Tanques (Rosário), Fonte Brahma (Tenente Luiz Meirelles), Fonte Judith (Alto), Fonte Amélia (Alto), Fonte Granja Guarani (Granja Guarani), Fonte Santa Ângela (Vale do Paraíso), Fonte Alexandre Fleming (Vale Paraíso) e Fonte São Sebastião (Pimenteiras ). Todas as nascentes serão analisadas novamente na próxima semana, podendo acontecer a liberação das fontes Taumaturgo e João Raposo.
 
 
 

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Semana de Sustentabilidade e Responsabilidade Social debaterá "Mudanças Climáticas"

Consumidor está cauteloso na hora de gastar, diz pesquisa

Senac RJ oferece 10 vagas de emprego para instrutores

Procon-RJ vistoria instaladoras de gás natural veicular

Faetec: matrículas de cursos de qualificação estão abertas até terça

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ

Desenvolvido por Agência Guppy