ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Conheça o novo Corolla 2020

Data: 05/09/2019

Divulgação

por Luiz Humberto Monteiro Pereira
Agência AutoMotrix
 
No embalo do prestígio e da fama de confiabilidade mecânica de que desfruta no Brasil, o Toyota Corolla é líder do segmento de sedãs médios há cinco anos consecutivos – vende tanto quanto os três maiores concorrentes somados. Apesar disso, no lançamento da décima-segunda geração no mercado nacional, a marca japonesa resolveu dar um “upgrade” de verdade no sedã. Para tal, investiu no desenvolvimento de duas motorizações: uma flex 2.0 litros Dynamic Force e outra híbrida, que combina dois motores elétricos e um 1.8 flex. A nova geração do Corolla chega ao mercado brasileiro em três versões diferentes. O motor flex 2.0 Dynamic Force estará disponível nas configurações GLi, XEi e Altis, todas com transmissão CVT Direct Shift de 10 marchas simuladas. Já o híbrido pode estar apenas na versão topo de gama Altis.
Para esse lançamento, a Toyota do Brasil investiu R$ 1 bilhão em sua fábrica de Indaiatuba, no interior paulista. Com um design mais contemporâneo e arrojado, a nova geração do veículo mais vendido do mundo estreia trazendo alguns ineditismos. Trata-se do primeiro veículo híbrido com motor flex do mundo e inaugura uma tendência que tem tudo para se alastrar na indústria automotiva brasileira. Como “efeito colateral”, a inovação tornou o Corolla com o combustível vegetal o automóvel híbrido mais limpo do planeta. Outro feito fica por conta do Toyota Safety Sense. Disponível na versão topo de linha Altis, o pacote de segurança ativa faz do Corolla o sedã médio com mais itens de segurança do país. Também inédito no Corolla nacional é o teto solar, agora disponível de série para a versão Altis 2.0L Dynamic Force ou como opcional no pacote Premium para a versão híbrida.  
O Corolla 2020 tem 4,63 metros de comprimento (mais um centímetro em relação à geração anterior), 1,78 metro de largura (mais 0,5 centímetro) e 1,45 metro de altura (menos dois centímetros), enquanto a distância entre eixos e o volume do porta-malas ficaram os mesmos – 2,70 metros e 470 litros. O tanque de combustível comporta 50 litros nas versões a combustão e 43 na híbrida. Sob o capô, o motor 2.0 litros Dynamic Force Dual VVT-iE 16V DOHC de ciclo Atkinson Flex rende 177 cavalos de potência, quando abastecido com etanol, e 169 cavalos com gasolina, sempre a 6.600 giros. O torque máximo, com etanol ou gasolina, é 21,4 kgfm a 4.400 rpm. O câmbio é um CVT com dez marchas simuladas. Já no híbrido flex da Toyota, o motor bicombustível é um 1.8 litro VVT-i 16V de ciclo Atkinson, derivado do motor a gasolina do Prius. Gera 101 cavalos de potência com etanol e 98 cavalos com gasolina, sempre em 5.200 rpm, e 14,5 kgfm de torque a 3.600 rpm, com etanol ou gasolina. Funciona em conjunto com dois motores elétricos que produzem 72 cavalos de potência e 16,6 kgfm de torque. A recarga da bateria é feita pelos motores elétricos, que funcionam como freios regenerativos. A transmissão é uma CVT Hybrid Transaxle.
Desde a versão de entrada GLi, o novo Corolla já vem com airbags frontais, laterais, de cortina e de joelho para o motorista), câmera de ré com linhas de distância com projeção na central multimídia, faróis com acendimento automático e ajuste de altura, controle eletrônico de estabilidade (VSC), controle eletrônico de tração (TRC) e sistema de assistência ao arranque em subida (HAC). Mas o destaque na segurança fica para o pacote Toyota Safety Sense (TSS), de série na versão Altis a combustão e opcional na híbrida. Um radar de ondas milimétricas combinado com uma câmera monocular permite detectar perigos e alertar o motorista – ou até parar o veículo sozinho, se for necessário. O TSS inclui Sistema de Pré-Colisão Frontal (PCS), Sistema de Alerta de Mudança de Faixa com condução assistida (LDA), Faróis altos automáticos (AHB) e Controle de Cruzeiro Adaptativo (ACC).
Os preços das versões com motor 2.0 litros Dynamic Force Flex começam em R$ 99.990 para a versão de entrada GLi, vão aos R$ 110.990 na intermediária XEi e atingem R$ 124.990 na Altis. O Altis Hybrid sai pelos mesmos R$ 124.990, mas pode ficar R$ 6 mil mais caro se incluir o pacote Premium, que é de série no Altis 2.0 litros Dynamic Force e agrega o Toyota Safety Sense, o teto solar elétrico e as rodas diamantadas com acabamento preto brilhante. Com esse opcional, o Altis Hybrid atinge os R$ 130.990.
 
Experiência a bordo
 
Princípio evolutivo
O interior do Corolla 2020 evoluiu expressivamente. A versão GLi conta com partes revestidas de tecido e de couro, ambos na cor preta. Já as versões XEi e Altis híbrida contam com partes revestidas de couro preto, enquanto a versão Altis 2.0L Dynamic Force e Altis híbrida com pacote Premium contam com partes elegantemente revestidas em couro bege e marrom. O volante de três raios com controles de áudio e computador de bordo tem acabamento em couro e possui aletas para troca de marcha nas versões XEi e Altis com motor 2.0 Dynamic Force. A versão híbrida não conta com os “paddle shifts”. 
O painel de instrumentos nas versões com motor 2.0 traz três mostradores, um circular, no centro, onde é possível visualizar o velocímetro e o nível de combustível; um semicircular do lado esquerdo, que exibe o conta-giros e o termômetro do motor, e uma tela de TFT de 4,2” colorida do lado direito que mostra o computador de bordo, com informações como indicador de marcha, consumo de combustível, hodômetro e autonomia. Já o Altis híbrido possui uma tela TFT de 7” digital e colorida, no centro do painel, que mostra o velocímetro e informações do computador de bordo. Enquanto o semicírculo da esquerda reúne indicadores do sistema híbrido, no lado direito estão informações de combustível e temperatura do motor. 
 
 
Primeiras impressões
 
Virtudes distintas
Guarujá/SP - O novo Corolla é o melhor Corolla de todos os tempos e estabelece novos patamares no segmento de sedãs médios. Em 27 anos de Brasil, o sedã da Toyota nunca passou por uma evolução tão grande em uma troca de geração. Em relação ao Corolla anterior, absolutamente tudo melhorou: estabilidade, agilidade e resposta, rigidez na estrutura, distribuição de peso e comportamento aerodinâmico. Tais evoluções se traduzem em um veículo que transmite uma sensação de condução nitidamente superior. A nova suspensão traseira de duplo braço triangular independente, com molas helicoidais e barra estabilizadora, é um dos destaques do novo Corolla. Proporciona um conforto de condução agradável, com melhor absorção de choques em terrenos irregulares. 
Dinamicamente, seja na motorização flex ou na híbrida, o modelo mostra boa desenvoltura, com uma performance insuspeita num sedã tradicionalmente conservador e que nunca foi dado a arroubos de esportividade. Como era de se esperar, a versão com motor 2.0 flex, com seus 177 cavalos, esbanja mais força. Fabricado na cidade paulista de Porto Feliz, é o motor mais potente que já equipou um Corolla. Com alta taxa de compressão (13:1) e curso longo, novos pistões de baixa fricção, o 2.0 Dynamic Force é 15% mais potente e 9% mais eficiente do que o motor da geração anterior. Junto a ele atua a transmissão CVT Direct Shift de 10 marchas. Os engenheiros da Toyota acoplaram uma engrenagem mecânica que atua na arrancada do veículo, melhorando a aceleração do veículo em primeira marcha.
Apesar de menos potente, é a nova motorização híbrida, com potência combinada de 122 cavalos, que mais surpreende. O Corolla Hybrid arranca sempre em modo elétrico e percorre mais de dois quilômetros sem acionar o motor flex, desde que a bateria tenha carga suficiente e o motorista não pise demais no acelerador. Quando pisa, o carro responde rápido, sem vacilações. A transmissão Hybrid Transaxle entrega uma aceleração linear, que reduz ou aumenta continuamente as marchas de acordo com a demanda do motor sem desperdiçar energia. A alavanca do câmbio tem as posições P, R, N, D e B, sendo esta última de regeneração máxima para carregar a bateria nas desacelerações e frenagens. Mais à frente está o seletor de modo de condução (Eco, Normal e Sport).
O Corolla híbrido possui sistema de freios regenerativos, que acumula a energia cinética gerada pelas frenagens e a transforma em energia elétrica, o que proporciona maior autonomia. Segundo o Inmetro, é capaz de rodar 14,5 km/l na estrada e 16,3 km/l na cidade quando abastecido com gasolina. Com etanol, o modelo atinge 9,9 km/l na estrada e 10,9 km/l na cidade. No teste de apresentação, que percorreu na maior parte do tempo trechos urbanos, a autonomia apontada pelo painel começou em 835 quilômetros e terminou em incríveis 1.030 quilômetros. Ou seja, depois de rodar 40 quilômetros em trechos urbano, que permitiram intensa utilização do modo exclusivamente elétrico, a autonomia prevista aumentou quase 200 quilômetros.
 
 
Ficha Técnica
 
Toyota Corolla Altis Hybrid
 
Motor: dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha, 16V, gasolina; motores elétricos de 53 kW.
Potência: motor a combustão com 101 cavalos com etanol e 98 cavalos com gasolina e dois motores elétricos (MG1 e MG2) de 72 cavalos de potência. A potência combinada é de 122 cavalos.
Torque: 14,6 kgfm a 3.600 rpm no motor flex e 16,6 kgfm nos motores elétricos. O torque combinado não foi fornecido.
Câmbio: automático do tipo CVT.
Tração: dianteira.
Direção: elétrica.
Suspensão: independente tipo McPherson na dianteira e multilink na traseira.
Freios: discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira.
Pneus e rodas: 225/45 R17.
Porta-malas: 470 litros.
Preço: R$ 124.990. O pacote Premium eleva o preço para R$ 130.990.

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Escola municipal não vai ser fechada

Empresa auxilia na contratação de diaristas em Teresópolis

Maior festival multicultural do país abre inscrições na próxima semana

Estácio Teresópolis participa de ação no Dia Mundial da Limpeza

Teresópolis sedia mais uma edição do "Domingo Natural Integrativo"

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ