ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Começa, finalmente, o trabalho de limpeza de rios em Teresópolis

Data: 23/01/2020

O serviço faz parte do programa ?Limpa Rio?, do governo estadual, anunciado pelo Governador Wilson Witzel em outubro do ano passado

Começou nesta terça-feira (21), a limpeza e desassoreamento do Rio Príncipe, que nasce em Campo Grande e deságua na Cascata do Imbuí, cortando ainda o bairro da Posse. O serviço faz parte do programa “Limpa Rio”, do governo estadual, anunciado pelo Governador Wilson Witzel em outubro do ano passado. Nesta quarta-feira (22), o secretário de Estado de Ambiente e Sustentabilidade, Altineu Côrtes, esteve na prefeitura para falar sobre o início do programa e entregar ofícios com importantes demandas ambientais de Teresópolis. Uma delas é a retomada das demolições de 1.946 imóveis, nas áreas urbana e rural, demarcados desde a tragédia de 2011. Outro pedido foi espaço para que o município apresente projeto e receba recursos, a fim de executar medidas de remediação e solução para o aterro sanitário, no Fischer.  “Por determinação do governador Witzel, vamos atender Teresópolis em todas as demandas encaminhadas ao governo do estado”, garantiu o secretário estadual Altineu Côrtes. O encontro com o prefeito Vinicius Claussen foi acompanhado pelo secretário municipal de Meio Ambiente e de Defesa Civil, Flavio Castro, pelo subsecretário de Defesa Civil, Albert Andrade, e pelo assessor Leonardo Maia, da Secretaria de Estado.
Limpeza de rios - Com investimento de R$ 4,4 milhões, recursos do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano – FECAM, a determinação é que a dragagem dos rios, na cidade e no interior, seja realizada pelo período de um ano em Teresópolis. O objetivo é aumentar a vazão da água em período de chuva forte e evitar transbordamentos. “Enquanto o estado atende os rios Príncipe – na Posse, Triunfo e Caetés – no Caleme e Parque do Imbuí, e os afluentes no Segundo e Terceiro Distritos, a Prefeitura colabora limpando córregos e cursos d’água nos bairros Quinta-Lebrão e Albuquerque. No centro da cidade, o Paquequer teve a calha limpa no ano passado e o serviço será retomado no período de seca”, explicou Flavio Castro, secretário municipal de Meio Ambiente.

Aterro sanitário
Outro pedido apresentado foi o de abertura de espaço para que a Prefeitura possa apresentar projeto ao FECAM, a fim de que o município receba recursos do Fundo Estadual para algumas medidas de remediação e solução para o aterro sanitário, no Fischer, cuja vida útil expirou em 2016 e que vem funcionando por força de liminar desde 6 de março de 2018. Um dos projetos é de custeio do transbordo do lixo produzido por Teresópolis para aterros sanitários licenciados de municípios vizinhos. Outro é o de solicitação de recursos para aquisição de outra área visando a instalação de novo aterro sanitário, com tratamento moderno e transformação dos resíduos sólidos em biocombustível, fonte de renda e geração de empregos para o município.
Coleta seletiva - A Prefeitura, através da Secretaria de Meio ambiente, pretende implantar, em fevereiro, o programa “Recicla Terê”, de coleta seletiva, com a instalação de 19 ecopontos pela cidade e o uso de um caminhão baú para recolhimento desse material. 

 

 

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Carnaval de rua no Rio em 2021 é adiado

Governo libera entrada de estrangeiros em todos os aeroportos do país

Presidente Jair Bolsonaro está sem febre ou dor após cirurgia

Bolsonaro fará cirurgia em São Paulo nesta sexta

Copa do Brasil: Atlético-GO marca nos acréscimos e elimina Fluminense

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ

Desenvolvido por Agência Guppy