ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Claussen e Ari fazem doação de salários para a Casa do Pequeno Trabalhador

Data: 17/07/2018

O valor que supera os R$ 28 mil, pois, também está no compromisso o provento do vice, Ari Boulanger, será destinado a Casa do Pequeno Trabalhador de Teresópolis, a conhecida Capette

Anderson Duarte

Depois de muita repercussão durante o processo eleitoral, a promessa de doação dos salários ao longo de sua gestão começa a se concretizar para o prefeito Vinicius Claussen, que inclusive já decidiu qual será a instituição que vai receber a doação do seu primeiro salário como Chefe do Executivo. O valor que supera os R$ 28 mil, pois, também está no compromisso o provento do vice, Ari Boulanger, será destinado a Casa do Pequeno Trabalhador de Teresópolis, a conhecida Capette. Segundo o prefeito, a necessidade de uma intervenção em um muro da instituição e algumas necessidades de manutenção do funcionamento da entidade pesaram na escolha. “Acho que esse nosso compromisso de campanha pode se concretizar ajudando muito uma instituição importantíssima para nossa cidade, inclusive no suporte a muitas políticas públicas de geração de emprego, capacitação e sociais que pretendemos realizar nos próximos meses. A Capette é uma entidade fundamental para nossas pretensões em políticas públicas no futuro breve e precisa estar bem, em pleno funcionamento para ajudar ainda mais na implantação destas mudanças que queremos”, disse o prefeito.
Segundo o Portal de Transparência da prefeitura, que não tem apresentado bom funcionamento nos últimos meses, os valores dos proventos mensais dos cargos de prefeito e vice, respectivamente são: R$ 18.700 e R$ 9.350. O compromisso público de doar os salários foi registrado em cartório no dia 30 de maio, durante o processo eleitoral. “Entendemos que Teresópolis passa por um momento econômico difícil, e os mais de R$ 600 mil que doaremos a instituições de caridade, reconhecidas pela sociedade, farão diferença na saúde, educação e assistência social da nossa cidade”, disse o prefeito ainda quando candidato ao cargo durante a eleição suplementar. A doação a entidades assistenciais foi uma das promessas de campanha de Claussen e se somado o valor do salário por toda a gestão, nos próximos dois anos e quatro meses, a estimativa é de que o valor total da doação chegue a R$ 600 mil. Ainda não se tem noticia com relação as próximas entidades que devem ser beneficiadas nos meses de mandato, mas o prefeito disse que escolheu a Capette para a primeira doação pela história da instituição com a formação do empreendedor teresopolitano.
No último dia 10 de julho, nossa FanPage trouxe uma enquete em questionava: “Qual instituição você gostaria que recebesse a doação de cerca de R$ 30 mil mensais?” Foram cerca de vinte e cinco mil pessoas envolvidas na publicação e centenas de comentários e compartilhamentos. De uma forma geral, as principais entidades lembradas pelos nossos leitores e internautas foram a APAE e algumas causas voltadas a proteção dos animais. Também há registros com relação a aplicação deste dinheiro em áreas específicas como a Saúde e a Educação. Apesar de haver pacificação da questão em nossos Tribunais Superiores com relação a possibilidade desta doação de forma licita, ainda encontram-se doutrinariamente muitas dúvidas com relação a que tipo de entidade ou programa poderia receber essa doação. Por óbvio, ONGs ou empresas que possuam ligação com políticos de mandato ou seus parentes diretos não estão habilitadas, assim como a reutilização destes recursos em ordenações ordinárias, como são os exemplos da Saúde e da Educação, dados por nossos internautas. Por certo, assim como aconteceu em São Paulo, com o prefeito Jorge Dória, várias entidades devem ser beneficiadas ao longo dos próximos meses.

 

- Entidade enfrenta dificuldades para se manter

A Casa do Pequeno Trabalhador de Teresópolis, ou como o teresopolitano aprendeu ao longo dos anos a chamar: Capette, tem enfrentado graves dificuldades financeiras, inclusive com o risco de ter que suspender os importantes projetos sociais que desenvolve desde 1974 em Teresópolis com crianças e adolescentes carentes. Recentemente, nossa reportagem mostrou que a prefeitura não realizava o repasse da verba que se comprometeu com a instituição e essa situação prejudicou muito o trabalho pela impossibilidade de arcar com as despesas. A Capette conta com uma creche que atende 75 crianças com idade entre 2 e 5 anos, além de projetos profissionalizantes com adolescentes. Por conta da falta de dinheiro, várias atividades chegaram a ser canceladas e as que continuaram, ficaram envoltas ao fantasma da falta de garantia para se manter por conta da falta de recursos. Um dos pontos de maior reclamação da entidade era o consultório odontológico, que mesmo todo equipado seguia desativado desde 2017.
Para atender adolescentes em vulnerabilidade social, a Capette criou o importante programa social "Jardineiro Mirim", que tinha a capacidade de atender até 50 adolescentes, número que foi sensivelmente reduzido pela falta de incentivos financeiros, mas mesmo com todas as dificuldades, a entidade não deixou esses jovens desamparados e continuou o trabalho, como lembrou bem a época o professor e diretor da entidade Paulo Roberto Martins Rocha. “Dentro desse programa temos ainda o programa de garçom e garçonete que procura uma inserção deles, desenvolvendo o gosto pelo trabalho com oportunidades diferentes daquelas que acabam prejudicando muito o adolescente na sua comunidade. Eles ficam com a gente no contra turno escolar”, explica o professor. Essa capacidade de preparar o jovem para o mercado de trabalho pesou na escolha do prefeito Vinicius Claussen segundo palavras do próprio.
A entidade depende muito do apoio de diversos cidadãos para manter os serviços sob os princípios consagrados na Declaração dos Direitos da Criança e do Adolescente. A Capette é devidamente registrada nos órgãos legais e considerada instituição de Utilidade Pública Federal, Estadual e Municipal, todos com validade renovada anualmente. “Todas as instituições sociais e filantrópicas não só de Teresópolis, mas também do estado e até do Brasil estão passando dificuldades porque as primeiras coisas que se cortam são as doações para esta área, infelizmente. As despesas só aumentam então temos que continuar pedindo aos empresários, aos sócios atuais, amigos e clubes de serviço para contribuir de alguma forma, financeiramente ou através de parcerias. Convido a quem puder ajudar a fazer uma visita e nós estamos fazendo campanhas sem parar”, explicou Paulo Roberto Martins Rocha, presidente da Capette.  
Como mostramos recentemente, a falta de recursos impede que o espaço seja melhor aproveitado, já que há necessidade de melhorar a estrutura. A construção de uma quadra, por exemplo, é um dos sonhos da direção, mas que esbarra na necessidade de realizar obras de infraestrutura. Até mesmo a área de lazer da creche está muito aquém do que poderia ser. Há também a necessidade urgente de investir na segurança do terreno, já que o muro lateral ameaça cair a qualquer momento e muitos motoristas desavisados estacionam seus carros na calçada lateral que fica na Rua Juruena. As pessoas e empresários que também queriam ajudar a entidade, o endereço é Rua Juruena, 73, em Agriões, e o telefone é 2742-0057.

 

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Todos os assentos de transportes intermunicipais podem passar a ser preferenciais

Inscrições para o Sisu começam dia 4 de junho

Túnel acústico é reaberto parcialmente no Rio após desabamento

Prefeitura de Guapimirim realiza mobilização contra abuso infantil

Vacinação e Prevenção na época mais fria do ano

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ