ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Cerca de dois milhões ainda não resgataram auxílio de R$ 600

Data: 06/05/2020

Com o fim do saque em espécie, Guimarães disse que o movimento nas agências deverá voltar ao normal a partir desta quarta-feira

Dos 18,5 milhões de brasileiros sem conta bancária que receberam a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), 16,49 milhões resgataram o benefício, disse nesta segunda-feira (5) o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Cerca de dois milhões receberam o dinheiro nas contas poupanças digitais, mas ainda não o movimentaram. A maior parte dos desbancarizados que fez o resgate optou por transferir o dinheiro para contas da Caixa em nome de parentes ou de amigos. Segundo Guimarães, 7,34 milhões fizeram essa opção, que, conforme explicou, equivale à retirada do auxílio. Uma hipótese para essa opção é de que a conta poupança digital permite transferências ilimitadas e sem custo para outras contas da própria Caixa.
Em segundo lugar, ficou o saque em dinheiro nas agências da Caixa, nos caixas eletrônicos ou em casas lotéricas, com 5,19 milhões de retiradas realizadas até às 14h de ontem. O número representa o contingente que tem ido aos pontos de atendimento nos últimos dias, fazendo longas filas. O saque em espécie da primeira parcela termina hoje para os nascidos em novembro e dezembro, mas quem não conseguiu retirar pode fazê-lo nos próximos dias.
Um total de 3,18 milhões de brasileiros transferiu o dinheiro da conta digital para contas de outros bancos por meio da Transferência Eletrônica Disponível (TED) ou do Documento de Ordem de Crédito (DOC). A conta poupança digital permite até três operações do tipo por mês. Por 90 dias, elas serão gratuitas. Segundo a Caixa, 398,8 mil pessoas usaram a conta digital para pagarem contas domésticas (água, luz, telefone e gás), 333,1 mil pagaram boletos por meio do aplicativo Caixa Tem e apenas 38,6 mil optaram por receber o benefício em cartões de débito da bandeira ELO. Pedro Guimarães disse esperar que mais pessoas optem pelo cartão de débito. “Torço para que a gente tenha mais pagamentos e uso do cartão, porque eles representam uma necessidade menor de saques presenciais nas agências”, declarou.

Filas na madrugada
Em entrevista coletiva para fazer um balanço do auxílio emergencial, o presidente da Caixa ressaltou que não há necessidade de as pessoas fazerem filas na madrugada nas portas das agências do banco. Na segunda (27) e na terça-feira (28) da semana passada, problemas tecnológicos atrapalharam os saques em espécie dos beneficiários nascidos de janeiro a abril, mas ele disse que os imprevistos foram resolvidos e que o fluxo de atendimento se normalizou.
Guimarães reclamou que pessoas se aproveitaram da situação para vender lugares na fila. “Várias pessoas estão ficando de madrugada para depois venderem o lugar. Isso não é correto”, queixou-se. Ele reiterou que o movimento nas agências diminuiu em relação à semana passada, apesar de as filas terem continuado.
Apenas ontem, 1,36 milhão de pessoas tinham sacado o benefício em dinheiro das 8h às 14h. “Esse número é quase dez vezes maior que as 143 mil pessoas que tinham sacado o auxílio [em espécie] na segunda-feira da semana passada. Isso mostra que o banco consegue atender quem chega”, disse. Ele destacou que todas as pessoas que estão chegando até as 14h estão sendo atendidas, mesmo que as agências tenham de fechar mais tarde. Ele disse que o banco reforçou a equipe com três mil funcionários para atender ao público nas agências com maior movimento e contratou 4,8 mil vigilantes e 889 recepcionistas.
Com o fim do saque em espécie, Guimarães disse que o movimento nas agências deverá voltar ao normal a partir desta quarta-feira (6). “A grande parte das pessoas já recebeu seu dinheiro. Amanhã (quarta) é um grande dia para ver o que vai acontecer”, completou.

Atendimento dentro do horário
A Caixa divulgou também nota para esclarecer que todas as pessoas que chegarem às agências durante o horário de funcionamento, das 8h às 14h, serão atendidas. Não é preciso madrugar nas filas, evitando, assim, períodos excessivos de espera e aglomerações. Segundo o banco, todos os que chegam até as 14h, horário de fechamento das agências, são informados de que o atendimento será realizado na mesma data. Além disso, a Caixa diz que intensificou o atendimento às pessoas que estão nas filas, de forma a dar celeridade com prestação de informações e geração de códigos (tokens) para a realização de saques, conforme o calendário de pagamento e a necessidade de se manter o distanciamento. O banco ainda está em contato direto com as prefeituras para fechar parcerias para organização e atendimento à população.

 

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Rio mantém cronograma de desmonte de hospitais de campanha

Bombeiros combatem há dois dias incêndio na Serra dos Órgãos

COVID-19: Teresópolis está na bandeira laranja de acordo com o governo do estado

Dezenas de empresas aderem à Semana Brasil 2020

Covid-19: Brasil chega a 2,8 milhões de casos; 70,3% estão recuperados

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ

Desenvolvido por Agência Guppy