ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Casos de sufocamento lideram causas de acidentes com crianças em Teresópolis

Data: 11/01/2020

O capitão Pimentel afirmou que casos de sufocação são os mais atendidos pelas equipes de emergência quando envolvem crianças

Marcus Wagner

Os acidentes com crianças no Brasil atingem números alarmantes e mostram que a prevenção é muito importante para evitar casos que resultam em ferimentos e óbitos.  De acordo com estatísticas divulgadas pela Organização Não Governamental (ONG) Criança Segura, acidentes matam diariamente 12 crianças e hospitalizam 335, em média, no Brasil. As causas destas ocorrências envolvem tanto ambientes internos e residenciais, como também locais externos e trânsito, mas sabe-se que atitudes simples podem evitar tragédias. 
De acordo com a entidade, foram 3.661 mortes de crianças decorrentes de acidentes registradas em 2017, o último ano com dados consolidados. Neste período, o Ministério da Saúde apurou que a maioria das mortes de crianças até 14 anos, em 2017, foi causada por acidentes de trânsito (1190), seguido por afogamentos (954), sufocação (777), queimaduras (217), quedas (181), intoxicações (79), armas de fogo (39), e outros (224).
Em Teresópolis, as estatísticas do 16º Grupamento de Bombeiros Militares (GBM) apontam que o perfil dos acidentes com crianças é um pouco diferente, mas mesmo assim preocupante. De acordo com o Capitão Pimentel, o menor descuido com crianças pequenas facilita a ocorrência de fatalidades e é muito comum o registro de afogamentos dentro de residências em situações diversas.

Risco de afogamento
“Felizmente na nossa cidade a realidade é diferente do que acontece a nível nacional em que os afogamentos são os maiores responsáveis por óbitos de crianças. Mesmo assim, é importante deixar um alerta para os pais que estatísticas mostram que afogamentos não ocorrem apenas em piscinas, no mar e cachoeiras, mas boa parte deles ocorre dentro das residências por meio de baldes, bacias e até vasos sanitários. É sabido que crianças com menos de cinco anos tem a cabeça mais pesada em relação ao corpo do que os adultos, então não conseguem se sustentar após imergir a cabeça em um recipiente assim. Bastam 2,5 cm de água para que uma criança de afogue”, alertou o Capitão Pimentel. 

Perigo no trânsito
No âmbito nacional, as mortes de criança que ocorreram por acidente de trânsito, 37% ocorreram quando elas estavam na condição de ocupantes de veículo e 28% devido a atropelamentos.  O capitão Pimentel enfatiza que também em Teresópolis esta é uma questão preocupante e os pais precisam ser muito cuidadosos em relação aos itens de segurança, mesmo quando forem dirigir por trajetos curtos. 
“A gente sabe que os acidentes de trânsito são a segunda maior causa de morte das crianças até os 14 anos. Peço, por favor, que não deixem de colocar a sua criança devidamente segura no mecanismo próprio para a idade dela, ou seja: bebê conforto, cadeirinha ou cinto de segurança. A uma velocidade simples de 40 km por hora, qualquer coisa no seu carro estará 10 vezes mais pesada, não adianta estar no colo da vovó no banco de trás. Se uma pessoa dirigindo alcoolizada vier na contramão e bater no seu carro, seu filho vai voar contra o para brisas e se não morrer vai ter sequelas para o resto da vida” destacou o capitão.

Causa mais comum em Teresópolis
“A sufocação é um tipo de evento muito comum, as crianças principalmente com menos de cinco anos que estão na fase oral, colocam tudo na boca. Por favor, deem para suas crianças apenas os brinquedos com a faixa etária própria para ela. Tomem muita atenção porque elas encontram objetos que nem se imagina que estão à mão delas”. 

Atenção também na cozinha
“As queimaduras são causadas em crianças principalmente por causa do fogão. Sempre cozinhe com panelas com o cabo para dentro. Se só for usar uma ou duas, é melhor utilizar as bocas de trás do fogão”. 

Esconder produtos químicos
As intoxicações infelizmente também são muito comuns. Não permita que na sua casa os produtos de limpeza fiquem nas prateleiras baixas, sempre coloque nas de cima. Quando ocorrer uma intoxicação, não provoque vômito e leve para um hospital imediatamente.

Primeiros socorros
Como os casos de sufocamento são os que mais chegam às equipes de emergência, o capitão Pimentel ensina como os próprios pais podem realizar o procedimento para tentar desobstruir a respiração na reportagem que está no ar na Diário TV e também em nosso canal no YouTube.


 

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Primeira-dama do Rio é internada de emergência

Índice que reajusta aluguel acumula 6,51% em 12 meses

Taxa de desemprego sobe para 12,6% em abril, diz IBGE

Saiba como contestar resultado do cadastro do auxílio emergencial

PM apreende mais uma grande carga de cocaína e maconha

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ

Desenvolvido por Agência Guppy