ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Casa é demolida na Fonte Santa após deslizamento

Data: 15/01/2020

Muita terra e escombros foram retirados do terreno para que seja feita a contenção naquele trecho bem ao lado da estrada

Marcus Wagner

Nesta terça-feira, equipes da Concessionária Rio-Teresópolis (CRT) realizaram a demolição de uma casa no Bairro da Fonte Santa, na altura do km 79 que ficava à beira da rodovia BR-116 por conta do risco de ocorrer um desmoronamento sobre a estrada. No último domingo, o local ficou muito perigoso após a chuva causar um a queda de uma barreira bem abaixo da casa que já estava interditada.  Como a previsão para os próximos dias é de mais chuva, houve a necessidade urgente de fazer a intervenção. 
Para realizar o trabalho, os operários a serviço da CRT tiveram que desviar o tráfego para o acostamento, enquanto trabalhavam na retirada dos escombros da casa e do terreno instável com uma retroescavadeira e auxílio de caminhões, além do corte de árvores e galhos do entorno para posterior instalação da contenção.  Com isso o trânsito registrou uma grande lentidão naquela área. 
De acordo com informações de um funcionário da CRT, não foi necessário desalojar ninguém, porque a casa já estava desocupada e também não será feita intervenção em nenhuma outra residência do entorno, pois o trabalho tem o foco de promover a contenção da encosta, gerando segurança para a comunidade e para os condutores de veículos.
A situação exigia uma resposta urgente já que as chuvas em Teresópolis estão acontecendo em grande volume quase que diariamente e a instabilidade de áreas de encosta é cada vez maior com esta incidência.
Na parte de cima do terreno, foi colocado um guardrail para delimitar a área de risco para os moradores que utilizam aquele trecho como acesso para suas casas. Como é a responsável pela concessão do trecho da rodovia, a CRT também tem a atribuição de regular os terrenos que ficam às margens da via, onde não é permitida a construção de moradia. 

Chuva causa problemas no estado
As chuvas de verão estão dando muito trabalho às equipes de emergência de vários municípios do estado do Rio de Janeiro. Os maiores índices de chuva dos últimos dias foram registrados em Maricá, com um volume de água de 177 milímetros (mm) na segunda-feira, o equivalente a quase 80% do acumulado previsto para todo o mês de janeiro.  Ao todo foram 44 ocorrências, 15 pessoas estão desalojadas, mas não há registro de desabrigados. 
O município de Itaboraí também está em estágio de alerta desde a madrugada de segunda-feira, quando a cidade registrou 134 mm de chuva, volume esperado para todo o mês de janeiro, com alagamentos, interdição de pontes e 16 famílias desalojadas.
Em São Gonçalo houve desabamento de uma casa, alagamentos em vários bairros e 63 pessoas precisaram ser resgatadas pela equipes dos bombeiros.
O Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro atuou em ocorrências de corte de árvores e alagamento e inundação em diferentes cidades do estado, como São Gonçalo, Itaboraí, Niterói, Saquarema, Itaocara, Rio de Janeiro, Cachoeiras de Macacu, Angra dos Reis, Paraty, Cabo Frio e Duque de Caxias.

 

 

Compartilhar:








ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Helicóptero que caiu com Bryant tinha nove pessoas a bordo

Governo do Estado recebe donativos para vítimas de chuvas no Norte e Noroeste

Witzel anuncia descentralização de R$ 23 milhões para municípios do Norte e Noroeste

Bolsonaro vê dificuldades na aprovação de reforma tributária no Brasil

Pequenos negócios tem até o dia 31 para aderir ao Simples Nacional

CLASSIFICADOS


        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ