ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Bombeiros treinam atendimento em cachoeiras

Data: 03/01/2018

O objetivo foi potencializar a ação dos profissionais para que consigam agir no menor tempo possível, tendo em vista as tragédias ocorridas entre 2008 e 2010 que resultaram em mortes na área de Guapimirim (Foto Ascom/PMG)

Marcello Medeiros

Com o início do período mais quente do ano, aumenta consideravelmente o número de casos de afogamentos e outros tipos de acidente em cachoeiras e rios da nossa região. Em uma delas, especificamente, é grande também o risco de outro tipo de problema, as cabeças d´água. O fenômeno já foi registrado diversas vezes nos rios que atravessam a Serra dos Órgãos e são muito procurados pelos banhistas na área do município de Guapimirim, principalmente. Por isso, a prefeitura do município vizinho realizou, por meio da Defesa Civil, da Guarda Ambiental e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), uma simulação de risco de acidentes em parceria com o Corpo de Bombeiros, através do Segundo Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente de Magé. A ação aconteceu em uma das muitas cachoeiras do rio Soberbo, na localidade de Barreira, vizinha à sede Guapi do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

Os agentes da Guarda Ambiental Igor da Penha e Wanderson Araújo simularam terem se afogado, e foram resgatados por agentes do Samu e do Corpo de Bombeiros. Na ação, os socorristas monitoraram o tempo entre uma chamada de emergência e o resgate, além da prestação do socorro em si. O objetivo foi potencializar a ação dos profissionais para que consigam agir no menor tempo possível, tendo em vista as tragédias ocorridas entre 2008 e 2010 que resultaram em mortes. “Promovemos um treinamento entre a Defesa Civil Municipal, o Samu e o Corpo de Bombeiros no poço dos Padres, na Barreira, para aperfeiçoarmos nosso trabalho em caso de resgate de pessoas, por conta de enxurradas no rio Soberbo. Lembramos que a Defesa Civil faz um trabalho de prevenção, com palestras educativas e mostrando os riscos pertinentes do rio Soberbo e a evacuação de frequentadores da cachoeira em caso de necessidade”, explicou o subcoordenador da Defesa Civil, Vanderson Marmo.

“A realização deste exercício simulado em conjunto entre a Defesa Civil, o Samu e o Corpo de Bombeiros foi incentivada pela criação do Plano de Contingência para enxurradas no rio Soberbo. O plano contém ações preventivas que devem ser adotadas para a realização da evacuação dos poços frequentados por banhistas ao longo do rio, quando houver alerta para ocorrência de enchentes”, complementou o supervisor de Contingência da Defesa Civil do município vizinho, Matheus Lopes.

“O simulado foi de grande proveito devido à grande quantidade de detalhes e à dificuldade da área. O acesso foi um complicador e as pedras estavam escorregadias, o que dificultou a remoção da vítima até a ambulância. Após o exercício, vamos discutir os erros e acertos. Tudo isso é para preparar os profissionais e elevar a qualidade do atendimento a futuras ocorrências dessa natureza”, sustentou o coordenador do Samu, Alexandro Lisboa.

“Com o início do verão, um número significativo de pessoas visita as cachoeiras de Guapimirim. Muitos desses turistas desconhecem ou desprezam a magnitude do evento conhecido como cabeça d’água, que consiste no aumento repentino do volume e da velocidade da água, decorrentes de chuvas fortes que ocorrem nas cabeceiras dos rios. E para evitar desastres como o que aconteceu em 9 de fevereiro de 2008, na cachoeira do rio Soberbo, em que sete pessoas morreram, são necessárias medidas preventivas, como: Avisos e orientações aos visitantes e o acionamento de sirenes para evacuação do rio e suas margens. Essa operação simulada serviu para preparar as equipes para um eventual resgate, buscando otimizar nossa capacidade de resposta e promover a interação entre as equipes”, contou o subcomandante do Segundo Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente de Magé, major Odilon.

Muitas opções para banho

Na Estrada do Garrafão, antigo caminho quase que paralelo à Rio-Teresópolis, no trecho de Serra, também há muitas opções de banho em condições semelhantes ao PARNASO e localidade de Barreira. A entrada para as cachoeiras é à esquerda, tendo como referência o sítio Sibelle. São pouco mais de cinco minutos de trilha até a primeira maravilha, o Véu de Noiva do Garrafão, duas grandes quedas que lembram o adereço feminino. O barulho e força da água impressionam. Na sequência do rio Iconha, mais uma pequena cachoeira e um poço bastante fundo, ideal para quem gostar de mergulhar. Nesses casos, nunca é demais lembrar, é importante tomar cuidado com as pedras no entorno e fundo, logicamente. O ideal é primeiro fazer um reconhecimento da área para evitar acidentes, que podem ser fatais.

Nesse “núcleo” de cachoeiras, há várias quedas e locais para se refrescar, como o Poço da Hidromassagem, também um pouco abaixo do Véu. Além da dica sobre o mergulho, outras orientações importantes quando se frequenta esse tipo de local são os cuidados com as pedras escorregadias e trombas d´água. Na segunda situação, é preciso ficar de olho na formação de nuvens no alto da serra e no aumento rápido do volume da água. Ah, também se deve ter em mente que ambientes naturais não contam com salva-vidas... Então saber seus limites é fundamental! Seguindo a estrada em direção ao bairro de Limoeiro, fica ainda a muito procurada Cachoeira da Concórdia.

 

 

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Justiça cancela aumento dado pelo prefeito

Irmão de mulher espancada diz que ainda está chocado com a violência

Bebianno é exonerado, confirma porta-voz da Presidência da República

Prefeitos de Teresópolis e Nova Friburgo anunciam investimentos no Circuito Tere-Fri

Programa estadual realiza primeiro transplante cardíaco de 2019

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ