ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Bombeiros treinam atendimento em cachoeiras

Data: 03/01/2018

O objetivo foi potencializar a ação dos profissionais para que consigam agir no menor tempo possível, tendo em vista as tragédias ocorridas entre 2008 e 2010 que resultaram em mortes na área de Guapimirim (Foto Ascom/PMG)

Marcello Medeiros

Com o início do período mais quente do ano, aumenta consideravelmente o número de casos de afogamentos e outros tipos de acidente em cachoeiras e rios da nossa região. Em uma delas, especificamente, é grande também o risco de outro tipo de problema, as cabeças d´água. O fenômeno já foi registrado diversas vezes nos rios que atravessam a Serra dos Órgãos e são muito procurados pelos banhistas na área do município de Guapimirim, principalmente. Por isso, a prefeitura do município vizinho realizou, por meio da Defesa Civil, da Guarda Ambiental e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), uma simulação de risco de acidentes em parceria com o Corpo de Bombeiros, através do Segundo Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente de Magé. A ação aconteceu em uma das muitas cachoeiras do rio Soberbo, na localidade de Barreira, vizinha à sede Guapi do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

Os agentes da Guarda Ambiental Igor da Penha e Wanderson Araújo simularam terem se afogado, e foram resgatados por agentes do Samu e do Corpo de Bombeiros. Na ação, os socorristas monitoraram o tempo entre uma chamada de emergência e o resgate, além da prestação do socorro em si. O objetivo foi potencializar a ação dos profissionais para que consigam agir no menor tempo possível, tendo em vista as tragédias ocorridas entre 2008 e 2010 que resultaram em mortes. “Promovemos um treinamento entre a Defesa Civil Municipal, o Samu e o Corpo de Bombeiros no poço dos Padres, na Barreira, para aperfeiçoarmos nosso trabalho em caso de resgate de pessoas, por conta de enxurradas no rio Soberbo. Lembramos que a Defesa Civil faz um trabalho de prevenção, com palestras educativas e mostrando os riscos pertinentes do rio Soberbo e a evacuação de frequentadores da cachoeira em caso de necessidade”, explicou o subcoordenador da Defesa Civil, Vanderson Marmo.

“A realização deste exercício simulado em conjunto entre a Defesa Civil, o Samu e o Corpo de Bombeiros foi incentivada pela criação do Plano de Contingência para enxurradas no rio Soberbo. O plano contém ações preventivas que devem ser adotadas para a realização da evacuação dos poços frequentados por banhistas ao longo do rio, quando houver alerta para ocorrência de enchentes”, complementou o supervisor de Contingência da Defesa Civil do município vizinho, Matheus Lopes.

“O simulado foi de grande proveito devido à grande quantidade de detalhes e à dificuldade da área. O acesso foi um complicador e as pedras estavam escorregadias, o que dificultou a remoção da vítima até a ambulância. Após o exercício, vamos discutir os erros e acertos. Tudo isso é para preparar os profissionais e elevar a qualidade do atendimento a futuras ocorrências dessa natureza”, sustentou o coordenador do Samu, Alexandro Lisboa.

“Com o início do verão, um número significativo de pessoas visita as cachoeiras de Guapimirim. Muitos desses turistas desconhecem ou desprezam a magnitude do evento conhecido como cabeça d’água, que consiste no aumento repentino do volume e da velocidade da água, decorrentes de chuvas fortes que ocorrem nas cabeceiras dos rios. E para evitar desastres como o que aconteceu em 9 de fevereiro de 2008, na cachoeira do rio Soberbo, em que sete pessoas morreram, são necessárias medidas preventivas, como: Avisos e orientações aos visitantes e o acionamento de sirenes para evacuação do rio e suas margens. Essa operação simulada serviu para preparar as equipes para um eventual resgate, buscando otimizar nossa capacidade de resposta e promover a interação entre as equipes”, contou o subcomandante do Segundo Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente de Magé, major Odilon.

Muitas opções para banho

Na Estrada do Garrafão, antigo caminho quase que paralelo à Rio-Teresópolis, no trecho de Serra, também há muitas opções de banho em condições semelhantes ao PARNASO e localidade de Barreira. A entrada para as cachoeiras é à esquerda, tendo como referência o sítio Sibelle. São pouco mais de cinco minutos de trilha até a primeira maravilha, o Véu de Noiva do Garrafão, duas grandes quedas que lembram o adereço feminino. O barulho e força da água impressionam. Na sequência do rio Iconha, mais uma pequena cachoeira e um poço bastante fundo, ideal para quem gostar de mergulhar. Nesses casos, nunca é demais lembrar, é importante tomar cuidado com as pedras no entorno e fundo, logicamente. O ideal é primeiro fazer um reconhecimento da área para evitar acidentes, que podem ser fatais.

Nesse “núcleo” de cachoeiras, há várias quedas e locais para se refrescar, como o Poço da Hidromassagem, também um pouco abaixo do Véu. Além da dica sobre o mergulho, outras orientações importantes quando se frequenta esse tipo de local são os cuidados com as pedras escorregadias e trombas d´água. Na segunda situação, é preciso ficar de olho na formação de nuvens no alto da serra e no aumento rápido do volume da água. Ah, também se deve ter em mente que ambientes naturais não contam com salva-vidas... Então saber seus limites é fundamental! Seguindo a estrada em direção ao bairro de Limoeiro, fica ainda a muito procurada Cachoeira da Concórdia.

 

 

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jovens vão auxiliar a Guarda Municipal usando bicicletas

Dodge diz ao Supremo que Lula não pode conceder entrevistas na prisão

Campanha para descarte correto de medicamentos

Campanha de renegociação de dívidas continua na PMT

Posto de Saúde de Araras recebe ação do Outubro Rosa

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ