ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Atendimento no Mamógrafo Móvel em Teresópolis

Data: 20/11/2018

Estacionada na Praça Olímpica Luís de Camões, na Várzea, a Unidade Móvel de Mamografia da Secretaria Estadual de Saúde fica em Teresópolis somente nesta quarta e quinta-feira - Marcello Medeiros

Marcello Medeiros

Estacionada na Praça Olímpica Luís de Camões, na Várzea, a Unidade Móvel de Mamografia da Secretaria Estadual de Saúde estará em funcionamento em Teresópolis somente nesta quarta (21) e quinta-feira (22), das 9h às 17h. O atendimento é prioritário para pacientes do Sistema Único de Saúde. Basta levar pedido médico do SUS, carteira de identidade, CPF, cartão do SUS e comprovante de residência. Senhas para o serviço serão entregues no local, com atendimento realizado em parceria com a equipe da Secretaria Municipal de Saúde. Serão realizados exames de mamografia e ultrassonografias mamária, de tireoide e transvaginal. A previsão é que sejam feitas entre 60 e 65 mamografias e de 30 a 35 ultrassonografias por dia. O resultado dos exames será entregue na Secretaria Municipal de Saúde, localizada na Rua Júlio Rosa, 366, Tijuca. Após o atendimento, o paciente receberá protocolo com data e horário para retirada.
A unidade está percorrendo todas as regiões do estado do Rio de Janeiro. O mamógrafo móvel, unidade itinerante da Secretaria de Saúde, já realizou mais de 10 mil exames, entre mamografias e ultrassonografias mamárias. Após um período em manutenção, a unidade retomou as atividades em março deste ano e já percorreu cerca de 50 localidades. - O mamógrafo móvel cumpre duas importantes funções: A primeira é de chamar a atenção para a importância da mamografia e a segunda é dar suporte aos municípios na realização desse exame, que é tão importante para a saúde da mulher. Já visitamos mais de 50 localidades e fizemos mais de 10 mil exames, entre mamografias e ultrassonografias mamárias. Nunca é demais ressaltar que o diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as chances de cura – enfatiza o secretário estadual de Saúde, Sérgio Gama.

Importância dos exames
A Lei 12.732, em vigor desde 2012, estabelece que o primeiro tratamento oncológico no Sistema Único de Saúde (SUS) deve se iniciar no prazo máximo de 60 dias a partir da assinatura do laudo patológico ou em prazo menor, de acordo com a necessidade terapêutica do caso registrada no prontuário do paciente. “A gente quer que as pessoas não apenas façam mamografia e tenham acesso ao rastreamento, mas que, tendo feito um diagnóstico, elas tenham condições de iniciar um tratamento de forma mais rápida possível. E isso depende, basicamente, da gestão municipal. O que a gente quer é reduzir fila para cirurgia, para radioterapia, para quimioterapia. Porque não adianta você estimular o diagnóstico precoce e a pessoa demorar seis meses para começar o tratamento porque não tem acesso”, defende o mastologista Antônio Luiz Frasson, da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM).
Frasson explica que se o tratamento demora mais de três meses para começar, o prognóstico é pior. “Quando uma mulher com câncer de mama é operada, a radioterapia tem que começar em três meses. Se tiver que fazer quimioterapia, quanto antes começar melhor, mas não deve passar de três meses”, advertiu o presidente da SBM. “É isso que a gente quer chamar a atenção”.
Pesquisa da SBM em parceria com a Rede Brasileira de Pesquisa em Mastologia revela um baixo número de mamografias efetuadas no ano passado por mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos. Foram realizadas 2,7 milhões de mamografias, contra 11,5 milhões previstos. A cobertura foi de 24,1%, inferior aos 70% recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). “O número de mamografias caiu muito. Em algumas regiões, ele é ridículo”, observou Frasson. “A gente está fazendo, em algumas regiões, 5% ou até menos do que seria recomendado”. Para o presidente da SBM, esse é um problema de gestão municipal, que depende de recursos destinados à saúde. “É basicamente um problema econômico”.
Além da realização de consultas e exames periódicos, a SBM reforça a importância de as brasileiras manterem hábitos saudáveis de vida, o que inclui a prática regular de exercícios, dietas com baixo teor de gordura, combate à obesidade. Esses fatores estão relacionados ao aumento do risco de desenvolver câncer de mama, sobretudo nas mulheres após a menopausa. A SBM preconiza a realização da mamografia anualmente para todas as mulheres a partir dos 40 anos de idade.

 

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Festival de Inverno do Sesc terá wokshops gratuitos

TSE vai definir primeiras cidades que vão emitir DNI

Detran terá que informar fundamentos em resultados de recursos

Feira de artesanato Teresópolis Artes Manuais começa nesta quinta-feira

Caminhão furtado em Niterói é encontrado em Teresópolis

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ