ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Alerj proíbe venda da CEDAE, dada em garantia a empréstimo

Data: 06/12/2018

Assembleia Legislativa derruba veto de Pezão e proíbe venda da Cedae em garantia de empréstimo - Divulgação Alerj

 Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil  Rio de Janeiro

 
A principal garantia do empréstimo de R$ 2,9 bilhões contraído pelo governo estadual do Rio de Janeiro junto ao banco francês BNP Paribas foi suprimida do acordo pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). A Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) deixa de figurar no negócio, com a derrubada, nesta quarta-feira (5), de um veto do governador Luiz Fernando Pezão à lei aprovada pela Casa, que proibia a venda da Cedae.

Com 44 votos favoráveis à derrubada do veto, somente um voto contra e oito abstenções, os deputados revalidaram um trecho da Lei Complementar 182/18, que vetava a venda das ações da Cedae. Com a prisão de Pezão, ocorrida no dia 29 de novembro, no âmbito da Operação Lava Jato, a bancada governista se desarticulou e acabou dando quórum para que fosse feita a votação.

O autor da emenda que proibiu a venda da estatal, deputado Paulo Ramos, do PDT, comemorou o resultado. “Vamos continuar com a Cedae pública, estatal e indivisível pelo bem do saneamento básico. A água não pode ser submetida ao lucro. Foi uma luta grande, com a participação de todos, mesmo dos que estavam com uma posição mais cautelosa”, disse o parlamentar.

Paulo Ramos defende a troca da garantia do empréstimo, retirando as ações e incluindo cerca de R$ 4 bilhões de dívida que a União tem com a Cedae pelo recolhimento indevido de impostos federais, débito, que, segundo o parlamentar, foi  reconhecido em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

O empréstimo bilionário contraído pelo estado do Rio de Janeiro serviu para pôr em dia as contas públicas, principalmente o salário do funcionalismo, que estava vários meses atrasado, e faz parte do Regime de Recuperação Fiscal, pactuado com o governo federal.

Procurado, o governo do estado disse, por meio de sua assessoria, que vai esperar o retorno do texto para depois se pronunciar: “O estado vai aguardar a chegada do texto aprovado ao Palácio Guanabara, para avaliar a medida a ser tomada”, informou a assessoria.

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Pia Sundhage convoca seleção feminina para amistosos

Rio: número de homicídios cai; mortes em confronto aumentam em 2019

Enel encontra furto de energia em lanchonete de Teresópolis

Bolsonaro quer investigar aumento abusivo em postos de combustível

Cadastro de Tarifa Social para desconto em conta de luz em Teresópolis

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ