ASSISTIR AO VIVO

REDES SOCIAIS

INSCREVA-SE NO

Polícia Militar anuncia novidades na área da segurança pública

Data: 04/07/2018

Assim que chegou ao município, Marco Aurélio falou da responsabilidade que teria, especialmente para manter os baixos índices de criminalidade na área do quartel. Hoje, se considera vitorioso neste sentido - Marcello Medeiros

Anderson Duarte

Dois estudos recentes com dados referentes ao ano de 2016 levantaram mais uma vez a desconfiança de parte da população com relação a um crescimento dos índices de violência em Teresópolis, já tida como a mais segura do estado do Rio e uma das dez mais do país. Apesar dos números não serem favoráveis em suas interpretações frias, elementos sociais e alguns acompanhamentos da Polícia Militar mostram que a cidade ainda desfruta de muita eficiência no setor e segue sendo referência quanto as trabalhos qualitativos na área. O 30º Batalhão de Polícia Militar, que segue no comando do Tenente Coronel Marco Aurélio, tem sido uma das unidades com a maior performance institucional e continua exportando tecnologia e procedimentos, assim como referenciando muitas ações replicadas a outros batalhões do estado. Em entrevista nesta terça-feira, 03, ao Grupo Diário, o Comandante fez questão de afirmar que não só ainda somos uma cidade segura, quanto o trabalho de aprimoramento das práticas segue intenso.
Uma das novidades apresentadas pelo militar durante a entrevista foi a instalação de câmeras de videomonitoramento em pontos estratégicos da cidade. Para o Comandante, esse equipamento, que é fruto de empenho de toda a sociedade teresopolitana, vai ajudar ainda mais a combater os ilícitos, assim como trabalhar a cultura da prevenção deste mal. “Nossa mentalidade, desde que iniciamos o trabalho aqui em Teresópolis, sempre foi de incentivarmos as ações de prevenção ao ato criminoso. Nesta semana mesmo, aqui nas páginas do DIÁRIO, vimos dois jovens mortos em comunidades carentes da cidade. Ao analisarmos as fichas destes jovens percebemos que por diversas vezes eles estiveram sob posse do estado, dentro sistema. Um dos vitimados em recente caso de intercepção depois de um assalto estava com condenação em seu desfavor de oito anos, e deveria estar com a liberdade cerceada. Esses são reflexos de um sistema que precisa mudar, a segurança não está no enfrentamento, ela está na prevenção”, explica o Comandante.
Mas infelizmente em Teresópolis, apesar de registros esporádicos de assassinatos e outras ocorrências de mesma proporção, a preocupação deve ser outra: O tráfico de drogas. Quase que diariamente, os militares do 30º BPM têm realizado ações com prisões e apreensões de entorpecente nas mais diversas comunidades. É importante lembrar sempre que esse tipo de desvio de conduta pode gerar diversos outros, como mortes, roubos e furtos. “Possuímos um Batalhão de Polícia Militar extremamente diferenciado e compromissado com as necessidades do município. É mesmo surpreendente ver o grau de engajamento da população altamente participativa nas questões da segurança e nos canais de denúncias da instituição e também do vínculo dos componentes da tropa com o município e os seus problemas. Mesmo com nossos baixos índices de criminalidade, o trabalho precisa ser intenso, sobretudo no crescimento dos casos de apreensões de drogas. Não podemos negligenciar que só há venda da droga ilícita, pois existe também quem a compre e a consuma. Além do trabalho de repressão ao crime de tráfico de drogas precisamos também evitar que essas pessoas procurem a droga para consumir, que elas parem de suar essas substâncias. Nunca é demais lembrar que ao comprar um papelote de um traficante, o cidadão está, além de alimentando o seu vício, potencializando o comércio de armas, ajudando a essas organizações criminosas a se instalarem nos bairros e promoverem o terror e o medo nestes locais, sem falar do nocivo efeito que esse comércio tem na juventude mais carente, que enxerga os meliantes como símbolos de sucesso. Tudo isso é fruto de um comércio bancado pelo usuário, pelo consumidor, que também precisa ser atendido para que deixe de utilizar essas substâncias”, explicou Marco Aurélio.
O Tenente Coronel se reúne recorrentemente com representantes da sociedade civil organizada e outros órgãos públicos, parcerias que ele considera fundamentais para o duro enfrentamento diário ao crime. “Buscamos sempre uma gestão muito participativa. Os encontros comunitários e o Conselho Comunitário Segurança são essenciais e neste sentido, temos uma veia de inteligência muito forte, uma relação muito aproximada com o Ministério Público de Teresópolis, entre outros laços que ajudam nesse combate. Vamos fortalecer nosso trabalho de inteligência principalmente em relação ao tráfico, e através do Proerd, um programa de resistência às drogas em que ensinamos nossos jovens a resistir as drogas, fazemos esse trabalho com massividade e implementando em comunidades que encontramos essa necessidade. Ou seja, é preciso trabalhar preventivamente, que é nossa missão precípua, e trabalhar na repressão quando necessário”, destaca Marco Aurélio.

 

Compartilhar:






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Homem é preso com 160 quilos de cocaína na região serrana

Prefeitura vai licitar transporte público, água e esgoto

Deputados proíbem venda da Cedae

Educação investe na formação continuada de seus profissionais

Ex-prefeitos deixaram PMT sem dinheiro e devendo muito

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ