Visite nossas redes sociais:

edição digital

leia

Festival Sesc de Inverno terá 955 horas de programação

O Festival Sesc de Inverno de 2017 será uma maratona de 955 horas de programação cultural nas unidades de Teresópolis, Quitandinha (Petrópolis) e Nova Friburgo do dia 28 de julho a 6 de agosto. A programação completa será divulgada em breve, mas o Sesc RJ já adianta alguns destaques de Teresópolis. Nesta 16ª edição, o evento celebra os 50 anos do movimento tropicalista com o tema Tropikaos – A arte da criação, norteador de grande parte da programação.
Quem abre o Festival, dia 28, é Tom Zé, um dos mais ativos participantes do movimento da Tropicália. O cantor e compositor presenta o espetáculo “Tropicália Lixo lógico”, trabalho em que propõe uma visão, uma teoria sobre a Tropicália, mais um de seus riquíssimos estudos sobre nossa música – contribuição valiosa e de uma coerência e ousadia ímpar. O mesmo palco vai receber o rapper Criolo, que apresentará o show “Espiral de Ilusão”, com canções do álbum homônimo que marca sua primeira incursão fonográfica no mundo do samba. Embora conhecido pelos seu rap cheio de crítica social, o artista sempre teve relação próxima com o gênero. O novo álbum traz dez sambas inéditos, nove deles autorais, compostos ao longo de toda sua carreira. 
Nas artes cênicas, o Solar da Fossa, lendária pensão carioca que abrigou nomes fundamentais do tropicalismo, é pano de fundo do musical “Contra o vento – um musicaos”, do grupo Complexo Duplo. O Grupo Galpão, que está completando 35 anos de atividade, apresenta o espetáculo “Os Gigantes da Montanha”, fábula escrita pelo dramaturgo italiano Luigi Pirandello. O premiado monólogo “O Escândalo Philippe Dussaert”, estrelado por Marcus Caruso, também está entre os destaques de teatro.
Um dos destaques da programação de cinema do Festival é a exibição seguida de debate do filme “O Rei da Vela”. Trata-se da filmagem de 1971 da peça homônima de Oswald de Andrade, censurada pela ditadura militar. Raríssimo, o filme foi lançado apenas em 1982 e digitalizado no ano passado. A programação de literatura conta com o espetáculo multimídia “Carne de Umbigo”, em que a performer carioca Maria Rezende mistura recital de poesia, performance ao vivo e videopoemas. 
Uma exposição permitirá ao público fazer uma viagem pelo tema desta edição do Festival Sesc de Inverno. Com curadoria de Heloisa Buarque de Holanda e Batman Zavareze, “Tropicália” examina a relação do movimento com a paisagem urbana e política conturbada do final dos anos 60 e início dos 70. Serão exibidos capas de álbuns, moda, cartazes, documentários, publicidade, livros, peças de teatro e imagens de televisão – tudo através de novos recursos tecnológicos como projeções e áudios imersivos.  
 
ALGUNS DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO

ARTES CÊNICAS
O Escândalo Philippe Dussaert
Ganhador de todos os principais prêmios nas categorias “Melhor Ator”, “Melhor Espetáculo" e "Melhor Produção", Marcos Caruso vive nesta comédia um conferencista que divide com o público a investigação do escândalo envolvendo o pintor francês Philippe Dussaert. Na história, as obras do pintor, após sua morte, vão a leilão custando uma fortuna, colocando o estado em uma delicada relação com o dinheiro público, e despertando a avaliação de se o que Dussaert fez é de fato arte ou digno de nota.  Texto: Jacques Mougenot l Tradução: Marilu de Seixas Corrêa l Direção: Fernando Philbert l Interpretação: Marcos Caruso Categoria: TEATRO. VALOR: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia entrada) | R$ 5,00 (associado Sesc). CLASSIFICAÇÃO: 12 anos. Dia 6 de agosto | Teatro da unidade – 20h.

Gigantes da montanha l Grupo Galpão
A fábula “Os Gigantes da Montanha” narra a chegada de uma companhia teatral decadente a uma vila mágica, povoada por fantasmas e governada pelo Mago Cotrone. Escrita por Luigi Pirandello, a peça é uma alegoria sobre o valor do teatro e, por extensão, da poesia e da arte e sua capacidade de comunicação com o mundo moderno, cada vez mais pragmático e empenhado nos afazeres materiais. A 21a montagem da companhia celebra o retorno da parceria com Gabriel Villela, que assina também a direção de espetáculos marcantes do grupo, como “Romeu e Julieta” (1992) e “A Rua da Amargura” (1994). A Petrobras é patrocinadora do Grupo Galpão. Categoria: TEATRO. VALOR: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia entrada) | R$ 5,00 (associado Sesc). CLASSIFICAÇÃO: LIVRE. Dia 5 de agosto | Quadra da unidade – 18h.
 
Universo Casuo 
Reúne música, performance, humor e poesia num só Universo. Repleto de cores e movimentos, fazendo uso de efeitos luminosos, sonoros e técnicas especiais, o show resgata a alegria e os sonhos dos espectadores. Utilizando-se de materiais e recursos de alta tecnologia, música ao vivo, enredo próprio e acrobacias de tirar o fôlego. Trabalho idealizado pelo artista Marcos Casuo, o único brasileiro que chegou a ser protagonista do espetáculo Alegria, do Cirque du Soleil. Categoria: Circo. VALOR: R$20,00 (inteira) | R$10,00 (meia entrada) | R$5,00 (associado Sesc). CLASSIFICAÇÃO: Livre. Dia 29 de julho | Teatro da unidade.
 
Contra o vento – um musicaos l Complexo Duplo
Espetáculo baseado no diário (fictício) de uma ex-moradora do Solar da Fossa, lendária pensão que abrigou nomes fundamentais da arte e do pensamento de nosso país que surgiam nos anos 1960. A trilha sonora, composta especialmente para o espetáculo, é executada pelos atores. A ordem em que a história será encenada pode mudar a cada dia conforme a escolha da plateia. Em trabalho de pesquisa documental sobre o gênero musical, diretamente ligado à temática do Festival. Categoria: Musical. VALOR: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia entrada) | R$ 5,00 (associado Sesc). CLASSIFICAÇÃO: Livre.  Dia 30 de julho | Quadra da unidade – 19h.
 
LITERATURA
Carne de umbigo | Espetáculo de Maria Rezende
CARNE DO UMBIGO é um espetáculo intimista em que a poeta e performer carioca Maria Rezende mistura recital de poesia, performance ao vivo e videopoemas. Um recital de poemas contemporâneo, multimídia, em que tradição e novidade dialogam. A concepção e direção ficam a cargo da própria poeta, que sozinha no palco diz poemas de seus três livros de forma cotidiana e informal. Versos que captam um inconsciente coletivo pulsante do feminino, falam de olhar para a cidade e para dentro de si, e traduzem a maturidade de quem viveu amores e perdas e aprendeu a se reconhecer e redescobrir. Como cenário, fotos de Ana Alexandrino de relevos humanos são projetadas. A ambientação é de Lara Cunha e o figurino de Mel Akerman. O espetáculo teve recentemente turnê em Portugal e Espanha. Já esteve em São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Belém, e Rio de Janeiro. Costurando a performance ao vivo, videopoemas líricos e fortes trazem a força do audiovisual, com trilhas sonoras de artistas contemporâneos brasileiros e imagens captadas e editadas pela própria poeta – que é também editora de filmes e séries de televisão. O espetáculo tem duração de uma hora e é voltado para o público adulto. Categoria: Performance. VALOR: Gratuito. CLASSIFICAÇÃO: Livre. Dia 30 de julho | 15h. 
 
Boca Suja | guardanapos poéticos
Textos de 10 poetas contemporâneos. Distribuição dos guardanapos poéticos nas unidades e em restaurantes. Sendo eles: Ayrton Alves, Bobby Baq, Bruna Miltrano, Carolina Turboli, Idjahure Kadiwel, Italo Diblasi, Ledusha (Leda Beatriz Abreu Spinardi), Rafael Zacca, Regina Azevedo e Yasmin Nigri. Categoria: Intervenção Poética. VALOR: Gratuito. CLASSIFICAÇÃO: Livre.

AUDIOVISUAL
O Rei da Vela
Filmagem da montagem histórica da peça de Oswald de Andrade, onde milionários decadentes, filhos depravados, capitalistas corruptos e implacáveis são os personagens interpretados pelo Grupo Oficina, em uma célebre apresentação teatral realizada no ano de 1967, gravada fundamentalmente em 71 e lançada mais de dez anos depois. O filme, raríssimo, foi digitalizado no final de 2016. A sessão será seguida da Mesa O Rei da Vela – 50 Anos Depois, com participação do diretor Noilton Nunes e do ator Renato Borghi. Mediação: Bernardo Buarque de Holanda. Categoria: AUDIOVISUAL | LITERATURA. VALOR: Gratuito. CLASSIFICAÇÃO: 16 Anos.  Dia 03 de agosto | Teatro | 17h30.
 
MÚSICA
Tom Zé
DESCRIÇÃO: Tom Zé apresenta o espetáculo “Tropicália Lixo lógico”. Neste trabalho Tom Zé propõe uma visão, uma teoria sobre a Tropicália, mais um de seus riquíssimos estudos sobre nossa música, contribuição valiosa e de uma coerência e ousadia ímpar. Categoria: Música. VALOR: R$ 20,00, R$ 10,00 (meia) e R$ 5,00 (assoc. SESC). CLASSIFICAÇÃO: 14 anos. Dia 28 de julho | Música | 20h | Quadra.
 
Criolo
DESCRIÇÃO: Show de lançamento do quarto álbum de estúdio de Criolo, “Espiral de Ilusão”, O show também contará com sambas inéditos que ficaram fora do disco. Todas as músicas são de autoria do Criolo, com exceção de “Hora da Decisão” (Ricardo Rabelo e Dito Silva) e “Filha do Maneco” (Criolo, Ricardo Rabelo e Jefferson Santiago).  VALOR: R$ 20,00, R$ 10,00 (meia) e R$ 5,00 (assoc. SESC). CLASSIFICAÇÃO: 14 anos. Dia 04 de agosto | Música | 20h | Quadra.
 
ARTES VISUAIS
Tropicália
Explodindo a cena cultural do final dos anos 60 do Brasil. Tropicália foi o movimento revolucionário que influenciou a arte, a política, a música e a moda da época. A exposição revisita a energia e a emoção deste momento seminal na cultura brasileira. A mostra examina sua relação com a paisagem urbana e política conturbada no final dos anos sessenta e início dos anos setenta, demonstra a amplitude de movimentos, incluindo capas de álbuns, moda, cartazes, documentários, publicidade, livros, peças de teatro e imagens de televisão. Serão utilizados novos recursos tecnológicos como projeções e áudios imersivos. A ideia é produzir uma viagem interativa e multidisciplinar entre as várias linguagens tropicalistas. A Exposição Tropicália tem curadoria de Heloisa Buarque de Holanda e Batman Zavareze, que também assina a Direção de Arte. Categoria: ARTES VISUAIS . VALOR: Gratuito. CLASSIFICAÇÃO: Livre. Dias 28/07 a 06/08 das 09h às 20h.

OFICINAS
O FAZER ARTÍSTICO ATRAVÉS DA COLAGEM: LINDONÉIA E OS TROPICALISTAS /com CAROLINA RODRIGUES OTAVIANO. A proposta da Oficina é apresentar o movimento tropicalista a partir da música Lindonéia, produzindo com os participantes um quadro inspirado nesse diálogo entre música e artes plásticas. Sesc Teresópolis, 05 de agosto, 10h30  e 14h.
 
TROPICÁLIA 50 ANOS / com JORGE LUÍS P. RODRIGUES (CAÊ RODRIGUES). Oficina debate os antecedentes do movimento Tropicalista – O movimento Concreto e o Neo-concreto; A Bossa Nova; os Festivais da Canção; Ditadura militar. Suas Influências – O mundo pop; carnavalização; psicodélico; justaposição do arcaico e o moderno; antropofagia cultural. Linguagens do Movimento – Artes plásticas, Cinema, Teatro e Música. Dia 04 de agosto, 10h30  e 14h.
 
OFICINA PRÁTICA A OBRA É O CORPO: NA GINGA DOS PARANGOLÉS, O RITMO E O RITO/ COM VERA TERRA. A oficina revisita os Parangolés de Hélio Oiticica, em sua concepção do corpo como obra, propondo uma experiência de sensibilização e criação artística em que o corpo, envolto em tecidos de diferentes texturas, cores e tonalidades, se movimenta sob diferentes ritmos, buscando alcançar um pulsar coletivo, que a todos integre numa mesma experiência lúdica e ritualística. Sesc Teresópolis, 29 de julho, 10h30 e 14h.
 
PARANGOLÉS E PENETRÁVEIS/ COM ANDRÉA FALCÃO. A atividade faz parte de uma série de ações que visam comemorar os 50 anos do movimento tropicalista. A proposta desta oficina foi desenvolvida tendo como inspiração a obra de Hélio Oiticica, mais especificamente, a instalação intitulada “Tropicália” e seus “parangolés”. Durante o trabalho os participantes serão convidados a criar a partir dos materiais oferecidos seus próprios parangolés e suas instalações “penetráveis” e depois interagir com elas explorando suas possibilidades plásticas e de movimento. Sesc Teresópolis, 3 de agosto, 10h30  e 14h. 






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CRT inicia mudanças no trânsito em frente à Fazenda Ermitage

Prefeitura de Teresópolis pode sofrer intervenção do governo estadual

Polícia Militar prende mais três no Soberbo

Lula será interrogado em setembro em mais um processo

Frio anima turismo e comércio em Teresópolis

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ