Visite nossas redes sociais:

edição digital

leia

Festival Sesc de Inverno terá 955 horas de programação

Data: 18/07/2017

O Festival Sesc de Inverno de 2017 será uma maratona de 955 horas de programação cultural nas unidades de Teresópolis, Quitandinha (Petrópolis) e Nova Friburgo do dia 28 de julho a 6 de agosto. A programação completa será divulgada em breve, mas o Sesc RJ já adianta alguns destaques de Teresópolis. Nesta 16ª edição, o evento celebra os 50 anos do movimento tropicalista com o tema Tropikaos – A arte da criação, norteador de grande parte da programação.
Quem abre o Festival, dia 28, é Tom Zé, um dos mais ativos participantes do movimento da Tropicália. O cantor e compositor presenta o espetáculo “Tropicália Lixo lógico”, trabalho em que propõe uma visão, uma teoria sobre a Tropicália, mais um de seus riquíssimos estudos sobre nossa música – contribuição valiosa e de uma coerência e ousadia ímpar. O mesmo palco vai receber o rapper Criolo, que apresentará o show “Espiral de Ilusão”, com canções do álbum homônimo que marca sua primeira incursão fonográfica no mundo do samba. Embora conhecido pelos seu rap cheio de crítica social, o artista sempre teve relação próxima com o gênero. O novo álbum traz dez sambas inéditos, nove deles autorais, compostos ao longo de toda sua carreira. 
Nas artes cênicas, o Solar da Fossa, lendária pensão carioca que abrigou nomes fundamentais do tropicalismo, é pano de fundo do musical “Contra o vento – um musicaos”, do grupo Complexo Duplo. O Grupo Galpão, que está completando 35 anos de atividade, apresenta o espetáculo “Os Gigantes da Montanha”, fábula escrita pelo dramaturgo italiano Luigi Pirandello. O premiado monólogo “O Escândalo Philippe Dussaert”, estrelado por Marcus Caruso, também está entre os destaques de teatro.
Um dos destaques da programação de cinema do Festival é a exibição seguida de debate do filme “O Rei da Vela”. Trata-se da filmagem de 1971 da peça homônima de Oswald de Andrade, censurada pela ditadura militar. Raríssimo, o filme foi lançado apenas em 1982 e digitalizado no ano passado. A programação de literatura conta com o espetáculo multimídia “Carne de Umbigo”, em que a performer carioca Maria Rezende mistura recital de poesia, performance ao vivo e videopoemas. 
Uma exposição permitirá ao público fazer uma viagem pelo tema desta edição do Festival Sesc de Inverno. Com curadoria de Heloisa Buarque de Holanda e Batman Zavareze, “Tropicália” examina a relação do movimento com a paisagem urbana e política conturbada do final dos anos 60 e início dos 70. Serão exibidos capas de álbuns, moda, cartazes, documentários, publicidade, livros, peças de teatro e imagens de televisão – tudo através de novos recursos tecnológicos como projeções e áudios imersivos.  
 
ALGUNS DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO

ARTES CÊNICAS
O Escândalo Philippe Dussaert
Ganhador de todos os principais prêmios nas categorias “Melhor Ator”, “Melhor Espetáculo" e "Melhor Produção", Marcos Caruso vive nesta comédia um conferencista que divide com o público a investigação do escândalo envolvendo o pintor francês Philippe Dussaert. Na história, as obras do pintor, após sua morte, vão a leilão custando uma fortuna, colocando o estado em uma delicada relação com o dinheiro público, e despertando a avaliação de se o que Dussaert fez é de fato arte ou digno de nota.  Texto: Jacques Mougenot l Tradução: Marilu de Seixas Corrêa l Direção: Fernando Philbert l Interpretação: Marcos Caruso Categoria: TEATRO. VALOR: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia entrada) | R$ 5,00 (associado Sesc). CLASSIFICAÇÃO: 12 anos. Dia 6 de agosto | Teatro da unidade – 20h.

Gigantes da montanha l Grupo Galpão
A fábula “Os Gigantes da Montanha” narra a chegada de uma companhia teatral decadente a uma vila mágica, povoada por fantasmas e governada pelo Mago Cotrone. Escrita por Luigi Pirandello, a peça é uma alegoria sobre o valor do teatro e, por extensão, da poesia e da arte e sua capacidade de comunicação com o mundo moderno, cada vez mais pragmático e empenhado nos afazeres materiais. A 21a montagem da companhia celebra o retorno da parceria com Gabriel Villela, que assina também a direção de espetáculos marcantes do grupo, como “Romeu e Julieta” (1992) e “A Rua da Amargura” (1994). A Petrobras é patrocinadora do Grupo Galpão. Categoria: TEATRO. VALOR: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia entrada) | R$ 5,00 (associado Sesc). CLASSIFICAÇÃO: LIVRE. Dia 5 de agosto | Quadra da unidade – 18h.
 
Universo Casuo 
Reúne música, performance, humor e poesia num só Universo. Repleto de cores e movimentos, fazendo uso de efeitos luminosos, sonoros e técnicas especiais, o show resgata a alegria e os sonhos dos espectadores. Utilizando-se de materiais e recursos de alta tecnologia, música ao vivo, enredo próprio e acrobacias de tirar o fôlego. Trabalho idealizado pelo artista Marcos Casuo, o único brasileiro que chegou a ser protagonista do espetáculo Alegria, do Cirque du Soleil. Categoria: Circo. VALOR: R$20,00 (inteira) | R$10,00 (meia entrada) | R$5,00 (associado Sesc). CLASSIFICAÇÃO: Livre. Dia 29 de julho | Teatro da unidade.
 
Contra o vento – um musicaos l Complexo Duplo
Espetáculo baseado no diário (fictício) de uma ex-moradora do Solar da Fossa, lendária pensão que abrigou nomes fundamentais da arte e do pensamento de nosso país que surgiam nos anos 1960. A trilha sonora, composta especialmente para o espetáculo, é executada pelos atores. A ordem em que a história será encenada pode mudar a cada dia conforme a escolha da plateia. Em trabalho de pesquisa documental sobre o gênero musical, diretamente ligado à temática do Festival. Categoria: Musical. VALOR: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia entrada) | R$ 5,00 (associado Sesc). CLASSIFICAÇÃO: Livre.  Dia 30 de julho | Quadra da unidade – 19h.
 
LITERATURA
Carne de umbigo | Espetáculo de Maria Rezende
CARNE DO UMBIGO é um espetáculo intimista em que a poeta e performer carioca Maria Rezende mistura recital de poesia, performance ao vivo e videopoemas. Um recital de poemas contemporâneo, multimídia, em que tradição e novidade dialogam. A concepção e direção ficam a cargo da própria poeta, que sozinha no palco diz poemas de seus três livros de forma cotidiana e informal. Versos que captam um inconsciente coletivo pulsante do feminino, falam de olhar para a cidade e para dentro de si, e traduzem a maturidade de quem viveu amores e perdas e aprendeu a se reconhecer e redescobrir. Como cenário, fotos de Ana Alexandrino de relevos humanos são projetadas. A ambientação é de Lara Cunha e o figurino de Mel Akerman. O espetáculo teve recentemente turnê em Portugal e Espanha. Já esteve em São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Belém, e Rio de Janeiro. Costurando a performance ao vivo, videopoemas líricos e fortes trazem a força do audiovisual, com trilhas sonoras de artistas contemporâneos brasileiros e imagens captadas e editadas pela própria poeta – que é também editora de filmes e séries de televisão. O espetáculo tem duração de uma hora e é voltado para o público adulto. Categoria: Performance. VALOR: Gratuito. CLASSIFICAÇÃO: Livre. Dia 30 de julho | 15h. 
 
Boca Suja | guardanapos poéticos
Textos de 10 poetas contemporâneos. Distribuição dos guardanapos poéticos nas unidades e em restaurantes. Sendo eles: Ayrton Alves, Bobby Baq, Bruna Miltrano, Carolina Turboli, Idjahure Kadiwel, Italo Diblasi, Ledusha (Leda Beatriz Abreu Spinardi), Rafael Zacca, Regina Azevedo e Yasmin Nigri. Categoria: Intervenção Poética. VALOR: Gratuito. CLASSIFICAÇÃO: Livre.

AUDIOVISUAL
O Rei da Vela
Filmagem da montagem histórica da peça de Oswald de Andrade, onde milionários decadentes, filhos depravados, capitalistas corruptos e implacáveis são os personagens interpretados pelo Grupo Oficina, em uma célebre apresentação teatral realizada no ano de 1967, gravada fundamentalmente em 71 e lançada mais de dez anos depois. O filme, raríssimo, foi digitalizado no final de 2016. A sessão será seguida da Mesa O Rei da Vela – 50 Anos Depois, com participação do diretor Noilton Nunes e do ator Renato Borghi. Mediação: Bernardo Buarque de Holanda. Categoria: AUDIOVISUAL | LITERATURA. VALOR: Gratuito. CLASSIFICAÇÃO: 16 Anos.  Dia 03 de agosto | Teatro | 17h30.
 
MÚSICA
Tom Zé
DESCRIÇÃO: Tom Zé apresenta o espetáculo “Tropicália Lixo lógico”. Neste trabalho Tom Zé propõe uma visão, uma teoria sobre a Tropicália, mais um de seus riquíssimos estudos sobre nossa música, contribuição valiosa e de uma coerência e ousadia ímpar. Categoria: Música. VALOR: R$ 20,00, R$ 10,00 (meia) e R$ 5,00 (assoc. SESC). CLASSIFICAÇÃO: 14 anos. Dia 28 de julho | Música | 20h | Quadra.
 
Criolo
DESCRIÇÃO: Show de lançamento do quarto álbum de estúdio de Criolo, “Espiral de Ilusão”, O show também contará com sambas inéditos que ficaram fora do disco. Todas as músicas são de autoria do Criolo, com exceção de “Hora da Decisão” (Ricardo Rabelo e Dito Silva) e “Filha do Maneco” (Criolo, Ricardo Rabelo e Jefferson Santiago).  VALOR: R$ 20,00, R$ 10,00 (meia) e R$ 5,00 (assoc. SESC). CLASSIFICAÇÃO: 14 anos. Dia 04 de agosto | Música | 20h | Quadra.
 
ARTES VISUAIS
Tropicália
Explodindo a cena cultural do final dos anos 60 do Brasil. Tropicália foi o movimento revolucionário que influenciou a arte, a política, a música e a moda da época. A exposição revisita a energia e a emoção deste momento seminal na cultura brasileira. A mostra examina sua relação com a paisagem urbana e política conturbada no final dos anos sessenta e início dos anos setenta, demonstra a amplitude de movimentos, incluindo capas de álbuns, moda, cartazes, documentários, publicidade, livros, peças de teatro e imagens de televisão. Serão utilizados novos recursos tecnológicos como projeções e áudios imersivos. A ideia é produzir uma viagem interativa e multidisciplinar entre as várias linguagens tropicalistas. A Exposição Tropicália tem curadoria de Heloisa Buarque de Holanda e Batman Zavareze, que também assina a Direção de Arte. Categoria: ARTES VISUAIS . VALOR: Gratuito. CLASSIFICAÇÃO: Livre. Dias 28/07 a 06/08 das 09h às 20h.

OFICINAS
O FAZER ARTÍSTICO ATRAVÉS DA COLAGEM: LINDONÉIA E OS TROPICALISTAS /com CAROLINA RODRIGUES OTAVIANO. A proposta da Oficina é apresentar o movimento tropicalista a partir da música Lindonéia, produzindo com os participantes um quadro inspirado nesse diálogo entre música e artes plásticas. Sesc Teresópolis, 05 de agosto, 10h30  e 14h.
 
TROPICÁLIA 50 ANOS / com JORGE LUÍS P. RODRIGUES (CAÊ RODRIGUES). Oficina debate os antecedentes do movimento Tropicalista – O movimento Concreto e o Neo-concreto; A Bossa Nova; os Festivais da Canção; Ditadura militar. Suas Influências – O mundo pop; carnavalização; psicodélico; justaposição do arcaico e o moderno; antropofagia cultural. Linguagens do Movimento – Artes plásticas, Cinema, Teatro e Música. Dia 04 de agosto, 10h30  e 14h.
 
OFICINA PRÁTICA A OBRA É O CORPO: NA GINGA DOS PARANGOLÉS, O RITMO E O RITO/ COM VERA TERRA. A oficina revisita os Parangolés de Hélio Oiticica, em sua concepção do corpo como obra, propondo uma experiência de sensibilização e criação artística em que o corpo, envolto em tecidos de diferentes texturas, cores e tonalidades, se movimenta sob diferentes ritmos, buscando alcançar um pulsar coletivo, que a todos integre numa mesma experiência lúdica e ritualística. Sesc Teresópolis, 29 de julho, 10h30 e 14h.
 
PARANGOLÉS E PENETRÁVEIS/ COM ANDRÉA FALCÃO. A atividade faz parte de uma série de ações que visam comemorar os 50 anos do movimento tropicalista. A proposta desta oficina foi desenvolvida tendo como inspiração a obra de Hélio Oiticica, mais especificamente, a instalação intitulada “Tropicália” e seus “parangolés”. Durante o trabalho os participantes serão convidados a criar a partir dos materiais oferecidos seus próprios parangolés e suas instalações “penetráveis” e depois interagir com elas explorando suas possibilidades plásticas e de movimento. Sesc Teresópolis, 3 de agosto, 10h30  e 14h. 






ÚLTIMAS NOTÍCIAS

IBGE diz que População brasileira é formada basicamente de pardos e brancos

Aposentados e pensionistas começam a receber segunda parcela do 13º salário

Inflação pelo IPC-S avança em quatro das sete capitais pesquisadas pela FGV

Garotinho diz ter sido vítima de agressão em cadeia no Rio

Brasil registra queda de quase 1,14 milhão de linhas fixas de telefone

        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ