Visite nossas redes sociais:

edição digital

leia

FILINTO PERRY

Felinto Perry busca submarino

Terceira embarcação brasileira em buscas ao submarino desaparecido na Argentina, o navio de socorro NSS Felinto Perry, o K11, já deixou o Rio de Janeiro e está a caminho de sua missão. Navio tem nome em homenagem ao herói militar teresopolitano Felinto Perry.

CONHECENDO TERESÓPOLIS

O Palacete Silva Araújo, no bairro do Alto

Chamado "palacete Silva Araújo", essa residência de veraneio, pertencente ao famoso farmacêutico, ficava na avenida Oliveira Botelho, 261, no bairro do Alto. Serviu como colégio, nos anos 1930 e, depois, antes de ser derrubado, foi hotel e restaurante.

CONHECENDO TERESÓPOLIS

A VÁRZEA, NOS ANOS 1940

Flagrante da Várzea no início dos anos 1940, com um ônibus da Melhoramentos subindo a avenida Delfim Moreira, em direção Alto.

CONHECENDO TERESÓPOLIS

TERESÓPOLIS VISTA DE CIMA, NO FINAL DOS ANOS 1930

Tirada da trilha do Sino, no final dos anos 1930, essa fotografia é uma viagem no tempo. Mostra a Várzea com poucas casas, e a Reta apenas uma estrada entre os dois bairros que ainda não tinham se encontrado. Vale a pena ampliar e investigar a rara imagem.

CONHECENDO TERESÓPOLIS

O SECRETARIADO DE MALHARDES

Gilberto Arêas, Expansão Econômica; Moacyr Carvalho, Administração; dr. Oswaldo Pereira de Oliveira, Procuradoria; Pedro Marcelino, Fazenda; professora Mariana Guimarães, Educação; Fernando Corrêa, chefe de Gabinete; dr. Eduino Carpenter, Saúde; Eng. Fausto Coelho da Rocha, Obras e Serviços Públicos; Rogério Almeida Grilo, Comissão de Licitação e Eng. Osiris Rahal, Planejamento. Esse era o secretariado do prefeito Roger Malhardes, entre 1973 e 1976. Em tempo de montagem de secretariado novo, taí uma dica para o prefeito de plantão. Dez secretários apenas, e a prefeitura funcionava muito bem.

CONHECENDO TERESÓPOLIS

A IGREJA MATRIZ DE SANTA TERESA

A igreja matriz de Santa Teresa nas cores azul claro e branco, como era até os anos 1970. É imagem incomum, reprodução de cartão postal raro, circulado mais de 40 anos atrás. Inaugurado em 1940, o templo atual foi erguido em torno da capela primitiva, construída em 1855 e doada quatro anos depois, pelos proprietários da Várzea, Claudina e Policarpo Azevedo.

CONHECENDO TERESÓPOLIS

O HIGINO PALACE HOTEL

Um prédio tão bonito, e que durou tão pouco tempo. Construído ao longo dos primeiros anos da década de 1920, O Hygino Palace Hotel foi consumido num incêndio em 1930, e dele temos poucas imagens. Motivo de sobra para refletir mais sobre esse cartão postal, raro, onde um texto no verso define bem o luxo que era Teresópolis naquela época. Surgido a partir do hotel dos Órgãos, o Hygino voltaria como clube, sendo hoje um bom espaço cultural da cidade.

CONHECENDO TERESÓPOLIS

UMA OLARIA NO CENTRO DA CIDADE

Uma fábrica de tijolos e telhas dividia com dois campos de futebol e o terreiros de algumas casas a grande área onde foi instalada a Sudamtex, nos anos 1963/64. Aberta em 1965, a fábrica de tecidos teve o auge nos anos 70, e entrou em declínio cerca de 20 anos depois de ser instalada. Hoje, o terreno que abrigava o imponente parque industrial de tecidos é cobiçado por investidores e empreendedores, além de outros que ainda sonham em ver no local o cobiçado Parque Fluvial do Paquequer. À esquerda, o túnel dos Órgãos e os trilhos do trenzinho da EFT.

CONHECENDO TERESÓPOLIS

O BAIRRO DE AGRIÕES, EM 1980

Depois dos prédios de quatro andares, que começaram a surgir nos anos 1960, foi a partir de meados dos anos 1970 que surgiram em Teresópolis as construções de oito andares, ou mais, e já se percebe várias delas neste interessante registro feito para publicação no jornal ÚLTIMA HORA, em 1980. É o tempo de verticalização dos bairros, novidade criticada pelos ambientalistas, e que escondeu outro problema maior surgido nessa época: a ocupação desenfreada dos morros. Aliás, triste ironia, os morros de Teresópolis foram reservados na planta original da cidade como garantia da salubridade do nosso privilegiado lugar. Imagem: Romildo Pires

CONHECENDO TERESÓPOLIS

O CINEMA ALVORADA

Inauguração do Cinema Alvorada, em janeiro de 1960.

HISTÓRIA

Clube Panorama em 1960

Imagina um clube, com uma piscina olímpica, acima e de frente para a cidade. Tinha isso em Teresópolis, e era muito bem frequentado. Esse é o Clube Panorama. Imagem: Guia Turístico, anos 1960.

TERESÓPOLIS

A pitoresca Fonte Judith

Apesar de dar de beber a quem tem sede, no início do ano a fonte Judith, no bairro do Alto, sofreu nas mãos dos vândalos, quando foi completamente pichada, transformando-se o importante ponto turístico numa vergonha municipal. Graças a contribuição da Pousada Terê Parque, no entanto, o atrativo foi ompletamente revitalizado, e está, novamente, em condições de receber os visitantes, e até festa será feita neste sábado, 15, quando comemora-se os 50 anos de sua revitalização, transformação feita em julho de 1967 pelo prefeito Waldir Barbosa Moreira, e inaugurada dentro do calendário de festividades do aniversário do município.

História

Teresópolis em 1940

Bem início dos anos 1940 essa fotografia, de quando a igreja matriz já tinha torre, provavelmente relógio não, e o Parque Regadas ainda não havia sido criado. Aliás, gostaria de saber quem morava nessa casinha simpática que ficava no centro do terreno onde foi erguido o importante empreendimento imobiliário... É imagem para apreciar, e aprender.

HISTÓRIA

Ponto de ônibus do Parque Filadelfia

Raros, e mal cuidados hoje em dia, quando a gente vê um abrigo de passageiros de ônibus como esse tem que compartilhar a imagem. Esperar ônibus já não é bom, sem um mínimo de conforto, então, torna-se coisa muito mais desagradável. E, para resolver isso não é preciso tanto dinheiro, só um pouquinho de boa vontade do prefeito e dos vereadores. Ah, se os nossos políticos andassem de ônibus...

MEMÓRIA

Colina dos Mirantes na Fazendinha

Parece a Europa, ou uma cidade turística interessante Brasil afora onde o prefeito cuida do bem público como se fosse propriedade sua. Mas, não é Canela, Gramado, Penedo ou Campos do Jordão não. É Teresópolis, Colina dos Mirantes, assim que foi inaugurado o atrativo turístico, em 1968. Hoje, a prefeitura nem capina o lugar, que virou local de risco e o turista tem medo de visitar.



Páginas: 1 2





        2742-9977   |   leitor@netdiario.com.br   |  Rua Carmela Dutra, 765 - Agriões Teresópolis/RJ